Perguntando a resposta

Foto de acervo da família
Foto de acervo da família

É muito interessante a comunicação verbal entre as pessoas… Umas falam gesticulando bastante, outras ficam batendo na gente, que aliás, é muito irritante. Outras ainda cospem tanto ao falar que um guarda-chuva seria bem-vindo. Algumas falam alto demais, outras muito baixo. Umas nem olham para o interlocutor, outras, um olhar penetrante. Algumas têm voz de mel, opostamente, de taquara rachada. E por aí vai…

O meu avô materno, João H. Santos, o vô Janguito, de saudosa memória e doces lembranças, tinha o hábito de responder qualquer pergunta, com outra pergunta. Parecia que ele queria saber da opinião da gente antes de responder.

Uma vez perguntei à minha mãe o porquê desta atitude. Seria insegurança? Vidência? Sei lá…

Objetivamente minha mãe falou para eu mesmo lhe perguntar.

Demorei algum tempo, me enchi de coragem e perguntei assim, na bucha e na cara dura:

– Diga aí vô Janguito, por que o senhor sempre responde uma pergunta com outra pergunta?

Ele respondeu:

– Quem te disse isso?

Me siga no Facebook