RB| Mesa redonda

Jorge Caldeira desconstrói mitos e clichês da história econômica brasileira em sua nova obra “Nem Céu Nem Inferno”.

Estudioso estará no UniBrasil Centro Universitário nesta segunda-feira.

A instabilidade econômica e política do país é um assunto que perpassa diversas esferas: desde a pauta familiar até as conversas sobre negócios.

O tema íntimo de grande parte dos brasileiros parece acessível e de fácil compreensão quando resumido ao “aqui e agora”.

Contudo, a história admite um sistema complexo e indagador sobre qual o legado das gerações anteriores na formatação do cenário atual.

Para mediar o assunto, o UniBrasil Centro Universitário recebe um dos maiores estudiosos da história econômica brasileira, Jorge Caldeira, para proferir a palestra “História Econômica do Brasil – os novos conhecimentos trazidos pela econometria” e fazer o lançamento de seu mais recente livro de ensaios, “Nem Céu Nem Inferno”, em que desconstrói mitos e clichês do pensamento histórico brasileiro.

Escritor, doutor em ciência política e mestre em sociologia pela Universidade de São Paulo – USP, Caldeira foi editor da “Ilustrada” e da “Revista da Folha” (suplementos da Folha de São Paulo), editor de economia da revista IstoÉ e editor-executivo da revista Exame, editor da revista Bravo!, consultor do Projeto Brasil 500 Anos da Rede Globo.

É autor de, entre outros livros, “Mauá: empresário do Império”, “O banqueiro do sertão” e “Júlio Mesquita e seu tempo”.

“Talvez numa vertente do ‘complexo de vira-lata’, de Nelson Rodrigues, a opinião que o brasileiro costuma ter da história de seu país é geralmente derrisória e pouco relacionada com a realidade. Como se fosse preciso justificar um mal-estar com a situação presente através de pecados e omissões do passado, maiores e diversos do que foram de fato. Assim, considera-se que as instituições sempre foram frágeis e nunca funcionaram adequadamente, os órgãos de representação legislativa atuaram a reboque de um poder centralizado, durante o período colonial e mesmo no Império a economia esteve atrelada apenas aos interesses das metrópoles portuguesa e depois inglesa, não temos tradição democrática e muito menos capitalista empreendedora. Caldeira vai contra esta vertente, não por coincidência seu livro de maior sucesso é “Mauá: empresário do Império” em que biografa o industrial empreendedor e visionário do século dezenove; em “Nem Céu Nem Inferno”, agora em lançamento, investe contra o gesso do pensamento nacional, mostrando o dinamismo e até a característica democrática das câmaras municipais brasileiras, realidade de mais de duzentos anos”, explica a educadora do UniBrasil, Wanda Camargo.

O evento integra a agenda do Projeto UniBrasil Futuro e acontece nesta segunda-feira, às 19 horas.

A entrada é livre.