Pink Floyd lança box com 27 discos recheados de raridades

129709272SZ

Não é nada barato ser colecionador ou fã do Pink Floyd. O grupo inglês lançou há poucos dias um box de raridades com 27 álbuns. O período abordado é a primeira fase, entre a segunda metade da década de 60 e início da década de 70. A influência psicodélica do então vocalista Syd Barrett predomina nas canções. Demos, versões ao vivo, lados b e sete horas de material inédito fazem parte do recheio da coleção, com arquivos de áudio e imagem, entre CD, DVD, Blu-Ray e Vinil.

A caixa custa pouco mais de 500 dólares, aproximadamente R$ 2 mil. Bem caro, mas se trata de bastante material. Uma alternativa econômica é adquirir o CD duplo “Pink Floyd – The Early Years 1967 – 1972 Cre/ation” em edição nacional por entre R$ 60 e R$ 70.

O álbum é um resumo bem compacto do box com 27 canções, com 19 sendo gravações inéditas. Inicia com singles como “Arnold Layne”, “See Emily Play” e algumas do álbum de estreia “The Piper At Gates Of Dawn”.  Gravações ao vivo raras de faixas como “Interstellar Overdrive”, “Cymbaline” e “Atom Heart Mother” (O famoso tema instrumental do disco da “vaca”) fazem valer a pena a aquisição.

Ao lançar o box, a banda surpreende ao revelar quanto material estava guardado que é originário apenas do período inicial. É verdade que a fase abordada é uma das mais irregulares da banda britânica, de álbuns bem psicodélicos como “Saucerful of Secrets” e da trilha sonora do sombrio filme “More”, que retrata a degradação de jovens que se envolvem com heroína.

Vale destacar também o material gráfico, com fotos da época e textos. Para quem é fã, uma boa aquisição para saciar o interesse por novo material já que o grupo está extinto e não demonstra intenção de retorno após a morte do tecladista Rick Wright em 2008. Às vezes há ameaça de retorno, mas é bem improvável.