Após ser preso em flagrante, prefeito investigado por corrupção eleitoral é liberado

Foto: Reprodução / Prefeitura
Foto: Reprodução / Prefeitura

O prefeito de Serranópolis do Iguaçu, no oeste do Paraná, Luiz Carlos Ferri (PMDB), foi solto na noite desta sexta-feira (16). Ele havia sido preso em flagrante durante a Operação Duas Caras, deflagrada pelo Gaeco e Ministério Público Eleitoral. Ferri estava na Cadeia Pública de Foz do Iguaçu.

Durante as buscas, os policiais encontraram munição de uso restrito das Forças Armadas na casa do político. Segundo a defesa do prefeito, a Justiça percebeu que houve um equívoco na manutenção da prisão.

 

Operação

 Além de investigar o prefeito, a ação cumpriu mandados de busca e apreensão na residência do vereador Vinícius Fracaro e do chefe de gabinete, Marlon Utzig. Ambos devem responder pelos crimes de organização criminosa, corrupção de testemunhas, falso testemunho, falsidade ideológica, coação no curso do processo e corrupção eleitoral.

As investigações tiveram início em 2016, após a suspeita de um esquema de compra de votos.

Cassados

Em abril, a juíza Carolina Marcela Franciosi Bittencourt, de Medianeira, já havia determinado a cassação dos envolvidos, por compra de votos na eleição de 2016.

Segundo a sentença da juíza, a compra de votos aconteceu em setembro de 2016. Para garantir a vitória na eleição, os investigados teriam feito “pagamentos indiscriminados de cestas básicas, materiais de construção, remédios e dinheiro em espécie para angariar votos”, segundo a magistrada.

O processo ainda está em fase de recurso no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR). Dessa maneira, por enquanto, os três suspeitos podem permanecer nos cargos.