Com fim da greve, escolas estaduais retomam as aulas nesta segunda-feira

Foto: APP Sindicato
Foto: APP Sindicato

Os professores da rede estadual do Paraná decidiram suspender a greve da categoria no sábado (18), com isso, as aulas serão retomadas nesta segunda-feira (20). Já os professores da rede municipal de ensino de Curitiba voltaram ao trabalho na sexta-feira (17), mas mantêm o estado de greve.

Os professores estaduais e municipais aderiram ao movimento nacional contra a reforma da Previdência na última quarta-feira (15), no Dia Nacional de Mobilização, junto a outras categorias. Porém, eles possuem outras demandas e, por isso, decidiram manter a paralisação na semana passada.

Os professores estaduais pedem que o governo do Paraná recue da redução das horas-atividade, questão que está tramitando no Tribunal de Justiça do Paraná, com a última decisão favorável ao governo. Agora, de acordo com o secretário de Comunicação da APP Sindicato, Luis Fernando Rodrigues, os professores seguem em estado de greve e pretendem negociar com o governo os dias parados. “O sindicato vai propor ao Estado uma negociação sobre esses dias parados, porém, se o governo do estado insistir no lançamento das faltas e no desconto dos salários, os professores não irão repor essas aulas, infelizmente, porque serão prejudicados, por conta dessa medida do governo, os estudantes”, afirma.

Na última semana, o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, confirmou que o governo vai descontar os dias parados dos servidores. Rossoni salientou que pode ser negociado apenas o abono da falta do dia 15. A medida foi comunicada durante reunião com dirigentes do sindicato que representa os professores, no Palácio Iguaçu. “Nós fizemos um apelo à APP Sindicato para que não fizessem greve. No momento, não cabe greve. Estamos fazendo um esforço enorme para cumprir nossos compromissos com os servidores públicos. Implantamos 75 mil progressões e avanços em janeiro e pagamos 1/3 das férias, coisa que outros estados não estão fazendo. Não cabe greve. O governo do Paraná vai descontar as faltas sim”, afirmou Rossoni. “Quem não trabalha não recebe”.

Já os profissinais da rede municipal protestam contra o atraso na implantação do plano de carreira. Os benefícios foram aprovados no ano passado e deveriam ter sido implementados em janeiro. Nesta terça-feira (21) deve ser realizada uma reunião com a prefeitura de Curitiba, que promete apresentar um cronograma para a implantação.