Gaeco deflagra operação que investiga crimes de corrupção em prefeitura do Sudoeste

Viatura do Gaeco em diligências na manhã desta terça-feira | Foto: Reprodução / Facebook
Viatura do Gaeco em diligências na manhã desta terça-feira | Foto: Reprodução / Facebook

O Ministério Público do Paraná (MPPR) por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Francisco Beltrão, no sudoeste paranaense, deflagrou na manhã desta terça-feira (18) a Operação Allage – palavra grega que significa “troca” – que investiga crimes de corrupção, fraude em licitações, falsidade ideológica, associação criminosa e lavagem de dinheiro praticados em cinco cidades do estado.

De acordo com o MPPR, foram cumpridos cinco mandados de prisão temporária e 12 mandados de busca e apreensão em Honório Serpa, Catanduvas, Bom Sucesso do Sul, Pato Branco e Francisco Beltrão.

O principal alvo da operação é o ex-prefeito de Honório Serpa Rogério Antônio Benin (PSD), que comandou a prefeitura entre 2012 e 2016. Ele é considerado foragido. Além dele, são investigados quatro funcionários ou ex-funcionários da prefeitura da mesma cidade, todos com mandado de prisão decretados. Com exceção de Benin, todos já estão presos. Segundo informações do MPPR, as investigações contaram com a colaboração premiada de um empresário que detalhou um esquema que fraudou obras de infraestrutura e a construção de um ginásio de esportes.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em residências e escritórios dos investigados, sendo apreendidos documentos, armas e munições. Uma outra pessoa também foi presa em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. Os investigados da Operação Allage devem responder por crimes de corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, fraude em licitações, organização criminosa e falsidade ideológica.