Instituição paranaense inaugura método terapêutico inspirado em astronautas

Astronautas PediaSuit
Foto: Pequeno Cotolengo

O Pequeno Cotolengo passou a utilizar um método de tratamento inspirado em astronautas. O chamado “PediaSuit”, que o cadeirante faça atividades em pé, já foi aplicado em dois moradores do local. A instituição curitibana atua no atendimento e acolhimento de pessoas com deficiências múltiplas.

O projeto PediaSuit foi desenvolvido por meio da destinação de verba de uma ação judicial encaminhada pela Dra. Marilia Massignan Coppla – Procuradora do Ministério Público do Trabalho da 9ª Região de Curitiba.

O protocolo é inspirado nos astronautas, e utiliza uma gaiola de metal, elásticos e um macacão para deixar o paciente em pé enquanto realiza diversas atividades.

A organização é a única a oferecer o método no Paraná e uma das poucas em todo o país. Além dos equipamentos, duas profissionais habilitadas em fisioterapia aplicam o tratamento,

Dois moradores já passaram pelo tratamento intensivo. São quatro horas diárias, de segunda a sexta durante um mês inteiro. Os pacientes obtiveram ganhos motores que não foram possíveis com as outras terapias oferecidas na instituição.

A fisioterapeuta responsável pelo projeto, Stefanny Graciliano de Araújo, explica que uma média de 50 moradores vão poder se beneficiar. “Alguns dos benefícios são a melhora da auto estima, fortalecimento dos músculos, melhora do equilíbrio, aumento da massa óssea e principalmente o sentimento de poder ficar em pé. Para um cadeirante que passou a vida toda na posição sentado e deitado, isso faz toda a diferença”, ressalta.

Foto: Pequeno Cotolengo

Foto: Pequeno Cotolengo

 

O método do astronauta

O PediaSuit, teve sua origem inspirada no trabalho de cientistas russos da década de 1970, que criaram um método para restaurar as funções motoras e cognitivas dos astronautas que retornavam do espaço. O protocolo em si foi criado em 2006 por Leonardo de Oliveira, na Flórida- EUA, que desenvolveu a terapia para seu filho, Lucas. O equipamento consiste em colete, touca, shorts, joelheiras, calçados e um sistema de elásticos ajustáveis, posicionados para reproduzir a musculatura. Este equipamento fica dentro do Spider, uma gaiola de metal. Ao trabalhar com os elásticos e a roupa, o PediaSuit consegue corrigir e restaurar movimentos. É indicado para pessoas com distúrbios neurológicos, como paralisia cerebral, atraso no desenvolvimento, lesões traumáticas cerebrais, autismo e outras condições que afetam as  funções motoras e cognitivas.