Mais de 60 mil paranaenses fizeram cirurgia de catarata em dois anos

Foto: Venilton Küchler - AEN
Foto: Venilton Küchler - AEN
Da BandNews FM Curitiba

Mais de 60 mil paranaenses fizeram cirurgia de catarata em dois anos. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde que por meio do Mutirão Paranaense de Cirurgias Eletivas zerou a fila de espera em algumas regiões do Paraná, como conta a diretora da 8ª Regional de Saúde, localizada em Francisco Beltrão, Cintia Jaqueline Ramos.

“Nós praticamente zeramos a fila de espera de cirurgias por catarata. Também executamos outras cirurgias na área geral, ortopédica e ginecológica, mas na especialidade de cirurgia oftalmológica foi praticamente zerado”, conta.

A catarata é uma doença que compromete a visão, e que pode e ocasionar a cegueira. A enfermidade se desenvolve, na maioria dos casos, em pessoas idosas. Essa é uma das doenças que atingem a visão da população mundial.

 

Importância do diagnóstico 

Nesta segunda-feira (10) é comemorado o Dia da Saúde Ocular em todo o mundo. De acordo com o oftalmologista Geraldo Canto, a melhor forma de prevenir problemas na visão é realizar exames oftalmológicos periódicos. De acordo com o oftalmologista Geraldo Canto, a melhor forma de prevenir problemas na visão é realizar exames oftalmológicos periódicos.

“Tem algumas etapas na vida que é preciso fazer os exames. Na própria maternidade quando se nasce é feito o teste do olhinho para detectar a catarata congênita, detectar retinoblastoma. Durante a infância, antes de começar a alfabetização a gente recomenda que a criança faça um exame no oftalmologista para saber se tem algum grau. E durante a adolescência que podem surgir ou progredir as miopias. É sempre bom fazer um exame para detectar alguma dificuldade que possa ter”, explica.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 43% dos problemas visuais, em países em desenvolvimento, são causados por erros refrativos não corrigidos, como: miopia, hipermetropia e o astigmatismo. Cerca de 20% das crianças e adolescentes paranaenses possuem erros refrativos (problemas na visão) e consequentemente, enfrentam dificuldades de alfabetização.

“Quando a gente faz um exame em um paciente que os pais acreditam ter uma visão normal, a gente detecta um grau elevado, as vezes quatro ou cinco graus. E aquilo causa dificuldade de aprendizado, de leitura. Por isso é importante que os pais, principalmente na fase inicial de alfabetização, levem os filhos para fazer um exame oftalmológico completo”, destaca.

Ainda, de acordo com a OMS, 80% de todas as deficiências visuais podem ser evitadas ou curadas. Por causa dos hábitos da vida moderna, a fadiga ocular já é considerada um problema de saúde. Aproximadamente 60% das pessoas com menos de 45 anos reclamam de fadiga nos olhos. Para Geraldo Canto, as pessoas devem evitar coçar os olhos, pois além de levar impurezas e bactérias para a região, a pressão pode provocar pequenas lesões no globo ocular.

“Tem duas doenças principais em que coçar os olhos pode ser prejudicial, uma delas é a ceratocone, uma doença da córnea. E um outro problema que pode ocasionar também, em pacientes míopes, que apertam o olho com forço podem também ocasionar um rasgo na retina”, afirma.

Outros hábitos são necessários para manter a visão saudável, como: a retirada de impurezas e secreções secas, principalmente após dormir, higienização das lentes de contato cuidado com a alimentação e o uso de óculos com proteção ultravioleta.