Maringá terá paralisação de ônibus e greve escolar

Foto: Ricardo Lopes/Metro Maringá
Foto: Ricardo Lopes/Metro Maringá

Por Leonardo Filho, Metro Maringá

Centrais sindicais promovem nesta quarta-feira (15) uma série de protestos contra as reformas trabalhista e da Previdência. Em Maringá, o ato pode afetar a rotina de milhares de pessoas, isso porque motoristas de ônibus e servidores públicos começaram a ser chamados para aderirem ao ato.

No transporte coletivo, o presidente do sindicato que representa os motoristas em Maringá e região (Sinttromar), Ronaldo José da Silva, confirmou protesto no Terminal Urbano. “A expectativa é de que a paralisação dure em torno de três horas. Vamos nos concentrar ao lado do terminal e aquele que quiser trabalhar não será impedido”, afirmou.

A presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), Iraídes Baptistoni, confirmou ontem (13) à tarde a adesão de vários servidores da Educação. “Faremos um protesto em frente ao Paço para tentar sensibilizar os colegas da necessidade de participar”, destacou.

O Sindicato dos Bancários, em parceria com outros sindicatos, também fará uma mobilização no Centro. A concentração está marcada para ocorrer durante todo o dia, na Travessa Guilherme de Almeida. “No nosso caso, não vamos interromper o atendimento nas agências. Vamos fazer um trabalho de conscientização”, explicou o presidente do Sindicato, Claudecir Souza.

Greve

Os professores da rede estadual também participam do protesto amanhã. Além disso, de acordo com a presidente da APP-Sindicato de Maringá, Vilma Garcia, a categoria aproveita a data para deflagrar greve geral. A decisão foi tomada em assembleia realizada em Maringá no dia 11 de fevereiro. Em Maringá e região 66.954 estudantes serão afetados com a greve.