PR lidera ranking de envio de armas para destruição

Foto: arquivo / CNJ
Foto: arquivo / CNJ

Com CBN Curitiba

O Tribunal de Justiça do Paraná lidera o ranking de envio de armas apreendidas para destruição ao Exército Brasileiro. Segundo dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), 320 mil armas juntadas a processos foram enviadas pelos tribunais de todo o país para destruição ou doação entre 2011 e 2016. O levantamento não contabiliza os dados dos tribunais de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Entre os dados disponíveis, o TJ-PR lidera o ranking de envio de armas ao Exército entre 2011 e 2016. Foram 71 mil e cem armas encaminhadas neste período. Somente no ano passado, o tribunal entregou 12 mil e cem armas.

O Judiciário Paranaense também aumentou o controle da guarda deste armamento desde fevereiro de 2016, segundo dados repassados ao CNJ. Este monitoramento é feito em cada vara.

Foi criada uma escala para o nível de lotação no armazenamento. Uma equipe especializada acompanha a quantidade de armas e não deixa passar para uma situação crítica.

Ainda de acordo com informações reveladas pelo Conselho Nacional de Justiça, apesar da iniciativa, ainda restam 24 mil e oitocentas armas em posse do Judiciário Paranaense, que tem a meta de não manter nenhum armamento dentro de fórum.

Roubos e furtos de armas em fóruns

A entrega das armas por parte do Poder Judiciário segue uma determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A recomendação surgiu após os constantes furtos e roubos de armamento guardado nos fóruns. Esta resolução prevê o envio de armas e munição que estejam sob poder da Justiça duas vezes por ano.

O CNJ considerou que a arma pode ser destinada logo após a chegada do inquérito, se existe um laudo sobre a utilização da mesma em um crime. Também foi recomendado o aumento na fiscalização dos locais onde estes materiais são guardados.