Protesto de servidores de Colombo suspende pela segunda vez votação de pacote

Foto: Reprodução/Facebook – Anderson Prego
Foto: Reprodução/Facebook – Anderson Prego
Da BandNews FM Curitiba

Um protesto de servidores conseguiu suspender pela segunda vez a votação de um dos projetos que preveem mudanças na carreira do funcionalismo público de Colombo. A proposta de número 007/2017, de autoria da Prefeitura, já foi aprovada em primeira discussão e seria levada nesta sexta-feira (23) para segunda votação em sessão extraordinária. Mas assim como ocorreu na terça-feira (20), servidores ocuparam o Plenário da Câmara de Vereadores e a reunião foi suspensa.

O projeto prevê alterações como a transferência da data base do funcionalismo público municipal de maio para janeiro, a suspensão das progressões na carreira, aumento no desconto do vale-transporte e extinção de cargos como os de merendeira, vigilante, auxiliar de serviços gerais e assessor jurídico.

Por outro lado, o projeto prevê reajuste do piso salarial dos médicos, com correção de 33%.A medida é uma resposta à categoria médica, que está em greve há duas semanas. Depois da suspensão da sessão desta sexta-feira (23), representantes dos servidores conversaram com o secretário municipal da Administração, José Mauri Henemann.

Segundo os manifestantes, o secretário teria se comprometido a agendar uma reunião da prefeitura com uma comissão formada por servidores para discutir as propostas do pacote de ajustes.

Em nota, a Prefeitura de Colombo alega que os servidores não vão perder direitos garantidos. Segundo o Executivo informa que busca uma redação mais clara e concisa para os diversos dispositivos da lei, “simplificando o entendimento e aplicabilidade”. Sobre os cargos de auxiliar de serviços gerais e merendeira, a Prefeitura informa que serão extintos gradualmente, quando os atuais servidores se aposentarem.

Além do projeto 007, também está prevista a votação de um projeto que autoriza o Executivo Municipal a abrir um crédito adicional especial no orçamento de R$ 454.804,50 e um crédito adicional suplementar de 17 milhões e trezentos mil reais R$ 17.324.500,00. Ainda tramita nas comissões da Câmara um outro projeto do pacote. A proposta 008/2017 propõe alterações no estatuto dos servidores.