Vendaval derruba ginásio e destrói escola no Paraná

Foto: Itamar Morini / colaboração / Paraná Portal
Foto: Itamar Morini / colaboração / Paraná Portal

Um vendaval deixou um rastro de destruição na cidade de Iretama, Região Noroeste do Paraná, neste fim de semana. Um ginásio do Colégio Estadual Anibal Khury, o maior do município, veio abaixo na sexta-feira (6), após ventos fortes que duraram apenas cinco minutos, segundo moradores do município.

O diretor da escola, Edvaldo Lucas de Figueiredo, sofreu um ferimento na cabeça. “Fui acolher os alunos que estavam ensaiando para um festival de step e feira do conhecimento que haveria na escola no dia 10 e 11 de outubro. O ferimento foi porque fui atingido por uma telha de esternite que cobre a rampa de acesso a quadra poliesportiva”, conta o diretor.

O vento derrubou o ginásio da escola por volta das 13h. “Graças a Deus não tinha aulas. Tinha reunião dos professores”, contou à reportagem o vereador Itamar Morini. Segundo ele, por pouco os danos não foram maiores. “(O ginásio) quase caiu em cima das casas. Por muito pouco”, disse.

Não há registro de outras pessoas feridas. As aulas foram suspensas, até que as instalações da escola possam receber os alunos de volta.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, também houve danos em residências e em uma igreja. Na área urbana, houve registro pela Defesa Civil de 20 árvores derrubadas pelo vento.

O vendaval também provocou o destelhamento de edificações da Vila Franciscana, em Campo Mourão, a 66 quilômetros de Iretama. O número exato de pessoas prejudicadas ainda não foi contabilizado.

Vídeo mostra floresta destruída

Circulou neste sábado (7) entre moradores de Campo Mourão um vídeo com uma cena inusitada que teria sido registrada em uma floresta de eucalipto na localidade de Usina Mourão, às margens da rodovia BR-487, próximo ao Parque Estadual Lago Azul.

Parte da floresta, que ocupa uma área de 30 mil metros quadrados, teria ficado completamente destruída após um vendaval na sexta-feira (6). O vendaval, de fato, aconteceu.

Mas a área pertence à Cooperativa Agropecuária Mourãoense (Coamo) que negou a ocorrência de avaria na floresta. “É muito parecido, mas ninguém encontrou essa área nem o autor do vídeo”, diz o cabo Costa, do Corpo de Bombeiros.

Segundo a cooperativa, funcionários foram neste sábado (7) até o terreno que teria aparecido nas imagens, mas não constataram nada de anormal.