Cenário perfeito

Foto Renato Smile 2

Analistas ouvidos pelo BC estimaram em 3,45% a inflação medida pelo IPCA neste ano.
Já a previsão para a taxa de juros no fim de 2017 recuou de 8% para 7,5% ao ano.
Risco-país, medido pelo CDS, tem menor nível em quase 32 meses. Recuou 2,29%, a 194,8 pontos. É o menor patamar desde 29 de dezembro de 2014. E foi o sétimo dia seguido de queda do indicador.
A Bolsa brasileira chegando nos 68.000 pontos e o desemprego começando a cair, em razão do agronegócio, que vem batendo recordes neste ano.
As reformas avançam, há consciência de que o Estado tem que diminuir de tamanho e a Justiça está implacável com a corrupção.
Mesmo com ambiente político instável, vamos bater recorde de Investimentos Estrangeiros Diretos, podendo chegar a U$ 70 bi.
Por fim, a Europa começa a se recuperar, os Estados Unidos a se estabilizar e há liquidez no exterior, dinheiro sobrando buscando emergentes que possibilitem oportunidades de negócio com rentabilidades atraentes.
Parece que chegou a hora do Brasil dizer a que veio.
Olha, amigos ouvintes, afirmo convicto que, se aprovarmos a reforma da previdência- mesmo a de Brasília, que julgo tecnicamente incorreta, constitucionalmente frágil e socialmente injusta, vamos surfar numa onda de crescimento e desenvolvimento econômico sem precedentes.
Melhor, só se aprovassem a minha reforma, o que ainda não está descartado, felizmente.

Consultas sobre finanças e previdência : (41) 3013-1483