Podemos ser amanhã a Venezuela de hoje

renato-follador

Quanta gente na Venezuela pensa, neste momento, em pegar a família toda e partir para um lugar mais democrático e seguro para viver.

Aí, mesmo tendo dinheiro, não pode realiza-lo, pois imobilizou toda a sua poupança. Aplicou em terrenos, imóveis para alugar, fazendas. Ou seja, mesmo sendo rico e tendo propriedades, não tem como vende-las, não tem liquidez.

Se for embora, vai com uma mão na frente e outra atrás, recomeçando a vida do zero.

Digo isso, porque ainda vejo muitos brasileiros imobilizarem seu patrimônio integralmente.

Investir em imóveis pode ser bom, mas concentrar investimento neles é uma burrice num mundo líquido, como disse Zigmunt Bauman, onde tudo muda em 24 horas, graças aos avanços da tecnologia e à globalização.

Empresários modernos têm sua empresa no notebook. Sequer estrutura física possuem. Trabalham em casa. Priorizam a leveza para correr o mundo em busca de novas oportunidades de investimento.

Fiz essas colocações para lembrar que no ano que vem tem eleição e tudo pode acontecer.

Para quem não é familiarizado com investimentos, vale lembrar que, em épocas de crise, é aconselhável ter bastante liquidez, ou seja, poder sacar o dinheiro de investimentos a qualquer momento.

Quando vejo as pesquisas de opinião, não descarto voltarmos à época da escuridão, da incompetência e da corrupção, pois, infelizmente, o brasileiro não aprendeu ainda a votar.

Não aprendeu que pagamos a ignorância com inflação, juro alto, desemprego e estagnação.