Vamos trocar de aposentadoria

judge-gavel-1461287201YS0

A desaposentadoria foi para o espaço após decisão do Supremo Tribunal Federal.
Um erro técnico brutal.
O Fator Previdenciário pressupõe que as contribuições totais durante o período que trabalhamos, ou seja, a poupança previdenciária, será toda distribuída como aposentadoria enquanto vivermos. Uma conta de resultado zero. O tal do equilíbrio financeiro e atuarial que está na Constituição.
Ora, se após a aposentadoria continuamos a trabalhar e somos obrigados pelo governo a continuar a contribuir para o INSS formamos uma poupança complementar que não poderia simplesmente ser tomada pelo Estado.
Uma injustiça social, um erro atuarial e uma apropriação indébita.
Enfim, os capa-pretas do STF entenderam diferente.
Tudo perdido? Não. Surge uma luz no fim do túnel após decisões em primeira instância da Justiça a favor dos segurados.
Existem dois tipos de aposentadoria: a por tempo de contribuição- que deu origem à tese da desaposentadoria- e a por idade.
A por idade exige 65 anos dos homens e 60 das mulheres e 15 anos de contribuição.
Agora, vamos imaginar alguém que se aposentou jovem por tempo de contribuição mas continuou a trabalhar e atingiu os 65 anos. Por que não solicitar a troca da aposentadoria por tempo de contribuição pela por idade?
A vantagem? É que o cálculo do valor da por idade é diferente e , em alguns casos, pode dobrar o valor da aposentadoria.
Para pensar.

Consultas sobre finanças e previdência : (41) 3013-1483