A lavanderia do Papa

papa francisco

 

Se alguns gestores públicos e empresários solidários seguiam os pequenos exemplos do Papa Francisco, com certeza teríamos pessoas mais felizes nas ruas, principalmente os excluídos que não tem nem onde morar.

A lavanderia criada pelo Papa é um exemplo. Com a instalação de três ou quatro máquinas de lavar roupa em um hospital próximo ao Vaticano, as pessoas que moram nas ruas de Roma podem lavar suas roupas e se sentirem novamente cidadãos. Antes, porém, o Papa abriu as portas do Vaticano para os mais necessitados convidando-os para almoços.

Depois, criou um banheiro para atender aos mendigos espalhados pelas ruas, vítimas da crise mundial que não perdoa ninguém. E agora, a lavanderia. São, portanto, exemplos simples, equipamentos fáceis de serem adquiridos e que podem mudar a vida de muita gente.

Em Curitiba, por exemplo, se entidades com as do chamado Grupo dos 7 – Federação da Agricultura, Federação das Indústrias, Associação Comercial, Fetranspar, Federação do Comércio, Faciap e Ocepar – montassem um pequeno complexo para atender algumas pessoas que moram nas ruas, com certeza muita coisa iria mudar.

O exemplo também poderia ser copiado pelo prefeito Rafael Greca e pelo governador Beto Richa. O que custaria isso para os banqueiros? E até mesmo para entidades sindicais que gastam dinheiro com mortadela e ônibus para protestos?

Uma pequena lavanderia, um pequeno restaurante, uma ou duas cadeiras de barbeiro e um banheiro. Só isso. Imaginem espalhados em locais estratégicos…Vale a pena ver o vídeo.  Salve o Papa.