Carne Fraca, Tornozeleira e Lava Jato

porco

 

O dia começou bem nesta sexta-feira à imprensa. Não faltam notícias. Ruins, é claro. Bem cedinho, a Operação Carne Fraca desmontou um esquema de propina para campanha do PMDB e PP, lavagem de dinheiro e carne estragada exportada à Europa. Ao mesmo tempo, o bandido Alberto Yousseff era beneficiado por entregar todo mundo na Lava Jato com a retirada da tornozeleira eletrônica dando, temporariamente, salvo conduto ao homem que, de certa forma, ajudou o Ministério Público e a Polícia Federal a penetrar nas entranhas do maior esquema de corrupção no Brasil, dentro da Petrobras.

Ainda pela manhã, os peritos criminais da Polícia Federal informavam, em entrevista coletiva dos três anos da Operação Lava Jato, a produção de um acervo de 1.132 laudos, jamais igualado em outras missões. Entre março de 2014 e março de 2017, eles entregaram 390 Laudos de Exame de Equipamento Computacional Portátil, 286 de Exame de Dispositivo de Armazenamento Computacional, 258 de Exame de Equipamento Computacional, 80 de Exame Financeiro, 43 de Exame Contábil, 23 de Exame de Local da Internet e 16 de Exame Documental de Engenharia.

Para fechar a manhã, uma notícia que deve ter caído como bomba no Palácio do Planalto: indícios de ligação do ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB), com o esquema da Carne Fraca. A Polícia Federal disse que ele não