Com recibos falsos, Lula continua mentindo à Nação

Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil

 

 

“Ideologicamente falsos”. Esta foi a mensagem da Força Tarefa da Operação Lava Jato ao juiz federal, Sérgio Moro, em relação aos recibos apresentados pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para comprovar o pagamento de aluguel do apartamento 121, do edifício Hill House, em São Bernardo do Campo (SP).

O que fazer diante de tantas mentiras, falcatruas? pergunta o cidadão de bem que quer ver um Brasil melhor. Podem ligar seus aparelhos de televisão que, nos telejornais da noite, estarão os advogados de defesa afirmando, com todas as letras, que isto á mais um golpe e perseguição política contra Lula. Réu em processos, inclusive com pedido de prisão de 9 anos e 6 meses, Lula e sua tropa de choque esperneiam diante da justiça.

“Sem margem à dúvida que os recibos juntados pela defesa de Luiz Inácio Lula da Silva são ideologicamente falsos, visto que é simulada a relação locatícia representada pelo engendrado contrato de locação”, afirmou a Procuradoria da República. Para os procuradores, a Odebrecht custeou a compra do apartamento, em nome do engenheiro Glaucos da Costa Marques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente.

Lula também responde por ter supostamente recebido da empreiteira terreno onde seria sediado o Instituto Lula, no valor de R$ 12,5 milhões. A Lava Jato afirma que não houve pagamento de aluguel entre fevereiro de 2011 e pelo menos novembro de 2015, do imóvel vizinho a Lula, em São Bernardo.