Congresso de olho nos privilégios do judiciário

poder judiciario

 

Deu na coluna do jornalista Cláudio Humberto: “Os “privilégios do Poder Judiciário” estão na mira de deputados e senadores, que prometem pôr fim a penduricalhos como auxílio-moradia de R$4.377 mensais, que juízes recebem ainda que sejam donos dos imóveis onde residem.

Os parlamentares, que não falam em suprimir idêntica regalia no Legislativo, afirmam que no Judiciário não se paga imposto sobre auxílio-moradia. Só no Judiciário, o custo do auxílio-moradia supera R$1 bilhão anuais.

Outro bilhão são gastos do mesmo modo no Executivo e no Legislativo com moradia e auxílio-moradia e diárias, muito usadas para engordar salários, para a Receita entram na categoria de “verbas indenizatórias não-tributáveis”. Quando se recebem atrasados, no Judiciário, não se pagam impostos. “Atrasados” são também “verba indenizatória” não tributável.