A maior corrupção da história da humanidade

thamea danelon

A procuradora da República, Thaméa Danelon, colaboradora da Operação Lava Jato, sustenta que esse escândalo de corrupção, que segundo o Ministério Público Federal é chefiado por Lula, “é o maior da história da humanidade”. A partir de declarações dessas, de pessoas que estão acompanhando todos os passos da operação e de posse de documentos, não restam dúvidas de que o problema é extremamente grave para a nação brasileira.

Só quem não quer ver que a questão da propriedade do triplex no Guarujá é só a ponta do fio da meada do cerco que a Operação Lava Jato vai fechando par pegar ex-presidente Lula. Depois de cinco horas de interrogatório, o juiz Sergio Moro deixou para o final algumas perguntas decisivas como, por exemplo, qual foi a participação de Lula em atos de obstrução da Justiça, suposta destruição de provas e intimidação de autoridades e testemunhas nos cinco processos em que é réu por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O certo é que a essas alturas do campeonato, os procuradores da Lava Jato entendem que já existem elementos de prova para a abertura de um novo inquérito.

As provas já começam a chegar nas mãos de Moro. O primeiro a entregar documentos que comprovam reformas no Triplex foi o executivo da OAS, Leo Pinheiro.

O desafio dos acusadores agora é que os delatores apresentem provas. Delações sem provas não têm valor jurídico.

Três investigadores da força-tarefa ouvidos pelo Estadão, sob a condição de anonimato, disseram que “o ato de buscar informações sobre provas de crimes confirma a acusação de que Lula não era alheio ao esquema de corrupção na Petrobras”.

E, para os próximos dias, é aguardado o fechamento do acordo de delação do ex-ministro Antonio Palocci, apontado pelos marqueteiros e outros delatores como principal operador do esquema do petrolão.