Perdão para os políticos ladrões

imagem: cidadeverde
imagem: cidadeverde

 

Quando a última pesquisa DataFolha revelou que a metade da população brasileira – pelo menos as pessoas ouvidas pela sondagem – não acredita que, com a Operação Lava Jato, a corrupção diminuirá no país, temos que pensar muito bem nesta hipótese. Veja o que aconteceu nesta terça-feira, no Congresso Nacional: a Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou substitutivo ao projeto 513/13 que abre caminho para a impunidade de políticos envolvidos na Lava Jato.

O projeto original foi assinado por Renan Calheiros (PMDB-AL), mas o substitutivo aprovado é do aliado Jader Barbalho (PMDB-PA) e dificulta a denúncia pelo Ministério Público de quem devolver o que surrupiou. O projeto beneficia acusado de crime sem violência contra a pessoa, o que incluirá políticos corruptos.

Para eles, os políticos que aprovaram o substitutivo, os “políticos” serão beneficiados, porque os corruptos são primários, boa conduta social, residência fixa… O projeto prevê: quem meter a mão no alheio, vive na maciota até ser pego. Mas é só devolver o que foi descoberto e ganha o perdão legal. Quem também comenta este escárnio é o jornalista Claudio Humberto.

Qualquer cidadão comum – e me incluo – que deve para a Receita Federal, não tem perdão e quando atrasa o pagamento, sofre pressão tipo, vai para cartório, dívida ativa e outros. Agora, os políticos, estou falando dos ladrões corruptos, terão perdão e continuarão sua vida roubando do povo brasileiro.