Temer, vitorioso, não fará retaliações e cargos serão mantidos

Foto: Beto Barata / PR

As vozes das ruas migraram para as redes sociais e o “fora Temer” vem perdendo força desde que a Câmara dos Deputados aprovou o arquivamento da denúncia contra o presidente no Supremo Tribunal Federal. Depois da vitória, deputados que votaram pelo “sim” querem tirar proveito – ou ainda mais – das benesses de Temer e pedem para que os que disseram “não” sejam devidamente punidos pelo Palácio do Planalto.

Mas não é isso o que deverá acontecer, pois existem reformas a serem aprovadas e o governo precisa de todos os votos. Portanto, não deverá haver lita de retaliações. Segundo Cláudio Humberto, “o Planalto não pediu “lista” de deputados contrários ao presidente Michel Temer, na votação de quarta (2), por uma simples razão: já a tinha desde que se encerrou a sessão da Câmara”.

Ainda segundo avaliação de sua equipe, o Planalto não deve fazer retaliações: o principal objetivo, agora, é garantir o máximo possível de votos entre os 391 deputados filiados a partidos governistas para aprovar a reforma da Previdência. O governo precisa de 308 votos. O desafio de Temer é não retaliar aliados que votaram contra ele, mas também não desagradar aqueles que se expuseram para defendê-lo. O presidente diz esperar a compreensão dos aliados: é hora de “ciscar para dentro” e garantir a aprovação das reformas.