O NARRADOR INTERNO

consciência 3

                                                                                                                           “Escrevo como se fosse salvar a Vida de alguém. 

                                                                                                                            Provavelmente a minha própria Vida.” Clarice Lispector

 

 

Fiquei imaginando sobre o quê seria meu próximo texto/artigo, envolvido e discutindo com o meu pensamento…”isto é interessante”; “Não, muito chato”; “polêmico demais” e, assim, fui me enredando com as elucubrações pertinentes à um dependente químico em recuperação. Foi, quando percebi: “caraca, tô falando sozinho e ouvindo vozes”.

Bem, já com esta afirmação para um Psiquiatra ou ele me internaria ou me receitaria uma lista de medicamentos para transtornos mentais decorrentes do uso de substâncias psico-ativas e que, de alguma maneira, estava interferindo em meu raciocínio, além de uma explicação, pra lá de chata, sobre o funcionamento do cérebro😒. E, é claro, todos nós escutamos vozes SIM, não aquelas vozes para matar uma dúzia de pessoas, estraçalhar alguém por não gostar do que postou no face e ainda tirar uma onda ou explodir a torcida adversária; não, essa voz é outra, é o nosso NARRADOR INTERNO, a voz de nossa Vida.

Conversamos com nossas vozes incessantemente, a cada minuto, e ocasionalmente percebemos este fato. Muitos a denominam de consciência, voz interior, intuição, anjo bom/anjo mau, e por aí se segue, mas, não interessa como a qualifica, e sim, saber que ela está presente durante o percurso do dia, podendo ser desagradável e ruim ou generosa, carinhosa, aprazível e até engraçada.

Neste turbilhão moderno do barulho, da impaciência, da sofreguidão e da precipitação saber escutar já é algo raro, quanto mais saber SE ESCUTAR e para este contexto a oração, a meditação, a ponderação, a reflexão e o silêncio interior são imprescindíveis para o funcionamento e o desempenho de seu cérebro visando uma vida mais serena e feliz. Clarear a mente e saber escutar o que vem, não só do cérebro, mas do coração e da alma, seguramente, torná-lo-á uma pessoa melhor.