MST ocupa região da Justiça Federal em Curitiba

Foto: Narley Resende / Paraná Portal
Foto: Narley Resende / Paraná Portal

Por Mariana Ohde e Narley Resende

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) estão nas proximidades da sede da Justiça Federal em Curitiba, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva presta depoimento ao juiz Sério Moro nesta quarta-feira (13), no âmbito da Operação Lava Jato.

Eles chegaram durante a manhã no local e permanecem fora do perímetro de bloqueio. Os integrantes do movimento devem participar das manifestações a favor do ex-presidente.

O diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) no Paraná prepara um ato para às 15h, na Praça Generoso Marques, no Centro de Curitiba, em apoio ao ex-presidente. A expectativa do partido é reunir cerca de 4 mil pessoas. Lula deve fazer um pronunciamento na praça, às 19h.

Interrogatório

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva volta a Curitiba nesta quarta-feira (13) para prestar depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância. O primeiro depoimento do ex-presidente na capital paranaense aconteceu no dia 10 de maio e foi relativo ao caso triplex.

Lula, desta vez, será ouvido pela acusação de ter recebido, da empreiteira Odebrecht, um terreno de R$ 12,4 milhões destinado a ser a nova sede do Instituto Lula – mudança que acabou não saindo do papel – e mais um apartamento de R$ 504 mil em São Bernardo do Campo.

O depoimento acontece na sede da Justiça Federal em Curitiba, de onde Moro conduz os processos. O depoimento começa às 14h e Lula será o primeiro réu interrogado.

Além dele, Branislav Kontic também será ouvido – ele é ex-assessor do ex-ministro Antonio Palocci, que, na semana passada, fez novas acusações contra Lula em depoimento na mesma ação penal.

Também são réus nesta ação Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht, Paulo Melo, ex-diretor da Odebrecht, Demerval Gusmão, proprietário da DAG Construtora, e Glaucos da Costamarques, dono do apartamento vizinho ao do ex-presidente Lula. Todos já foram interrogados.

Outro réu, Roberto Teixeira, amigo e advogado de Lula, será o último a ser ouvido, no dia 20 de setembro. Ele seria interrogado na semana passada, mas a defesa pediu o adiamento por causa de problemas de saúde. Moro remarcou o depoimento de Teixeira para o dia 20 de setembro.