Depoimento de Lula e manifestações movimentam Curitiba

Foto: Narley Resende
Foto: Narley Resende
Roger Pereira e Mariana Ohde com Narley Resende | Atualizado às 14h10

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a Curitiba para prestar depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, no âmbito da Operação Lava Jato. Com as ruas no entorno da sede da Justiça Federal, onde será o interrogatório, bloqueadas e manifestações previstas para o período da tarde, os curitibanos podem enfrentar dificuldades para se locomover pela capital hoje (13).

O esquema de segurança montado pela Polícia Militar do Paraná prevê o isolamento de 17 ruas nas imediações do prédio da Justiça Federal, no bairro Ahú.

Desde as 6h30 desta quarta-feira, a circulação de veículos e pessoas na região é permitida apenas com autorização e monitoramento da polícia. Nas cinco ruas que dão acesso ao prédio da Justiça Federal, o trânsito está bloqueado e o acesso só é permitido às pessoas que moram ou trabalham no local, profissionais de imprensa previamente credenciados e pessoas que tenham compromissos com a Justiça Federal. Ao contrário do que aconteceu no primeiro depoimento do ex-presidente, em maio, a Justiça funcional normalmente nesta quarta-feira.

O aparato montado para o segundo interrogatório do ex-presidente em Curitiba será menor do que o mobilizado para o primeiro. Mesmo assim, a previsão é de que mil policiais militares trabalhem na operação. No interrogatório anterior, foram 1.700 agentes convocados.

Lula, que foi ouvido em maio na ação do triplex do Guarujá, em que foi condenado a nove anos e meio de prisão, agora presta depoimento no processo em que é acusado de ter sido beneficiado pela Odebrecht com a compra de um terreno para o Instituto Lula e de um apartamento em São Bernardo do Campo.

Pouco antes do depoimento, marcado para 14h, Lula, que foi para a Justiça Federal em um comboio de três carros, desceu e caminhou com manifestantes no limite do perímetro delimitado pela Polícia Militar.

Bloqueios

No perímetro amarelo podem circular pessoas e veículos sob a supervisão, fiscalização e policiamento da Polícia Militar. No entanto, a qualquer momento, se necessário, ruas podem ser isoladas se houver muita movimentação de pessoas, tumulto, trânsito alterado, entre outros motivos.

A área vermelha pode ser acessada por moradores, pessoas autorizadas, funcionários da Justiça Federal e pessoas que devam comparecer em audiência na Justiça Federal, já que o expediente do órgão será normal.

Mapa Isolamento 13 Set 17 LULA - final

Ônibus

O trajeto de dez linhas de ônibus do transporte coletivo serão alterados. Os desvios começaram no primeiro horário dos ônibus, pela manhã, e seguem enquanto durar o bloqueio.

As linhas desviadas serão: ligeirinhos Barreirinha-Guadalupe, Bom Retiro-Cabral, Barreirinha, Paineiras, Santa Gema, Fernando de Noronha, Laranjeira, Ahú-Los Angeles, Cabral-Osório e Reforço Anita. As linhas de ônibus serão desviadas dento do perímetro das ruas Alberto Folloni, Francisco de Paula Guimarães, Emílio Cornelsen, São Luís, Coronel Amazonas Marcondes, Pedro Fabri, Vereador Garcia Rodrigues e Belém.

Linhas e desvios

Barreirinha-Guadalupe: O desvio não afetará embarques e desembarques.

Bom Retiro-Cabral: Mudança apenas no sentido Terminal Cabral. Desvia das ruas Eça de Queiros e Dos Funcionários para as ruas Alberto Folloni, Tomazina, Cel. Amazonas Marcondes, Pedro Fabri, Vereador Garcia Rodrigues e Avenida Paraná.

Barreirinha: Sentido bairro desvia da Avenida Anita Garibaldi e passa pela José Pedroso, Vereador Garcia Rodrigues, Pedro Fabri e Amazonas Marcondes. Sentido Centro deixa as ruas Washington Mansur, Benjamin Zilli e Anita Garibaldi e entra na Tomazina, Alberto Folloni e Constantino Marochi

Paineiras: Nos dois sentidos deixa as ruas Washington Mansur, Benjamin Zilli e Anita Garibaldi e passa pela Tomazina e Alberto Folloni.

Fernando de Noronha: Nos dois sentidos deixa as ruas Washington Mansur, Benjamin Zilli e Anita Garibaldi e passa pelas ruas Tomazina e Alberto Folloni.

Laranjeira: Nos dois sentidos deixa as ruas Washington Mansur, Benjamin Zilli e Anita Garibaldi e passa pelas ruas Tomazina e Alberto Folloni.

Ahu-Los Angeles: Nos dois sentidos deixa as ruas Washington Mansur, Benjamin Zilli e Anita Garibaldi e passa pelas ruas Tomazina e Alberto Folloni.

Cabral-Osório: O desvio não afetará embarques e desembarques.

Reforço Anita: Nos dois sentidos desvia da Avenida Anita Garibaldi e passa pela José Pedroso, Vereador Garcia Rodrigues, Pedro Fabri e Amazonas Marcondes.

Santa Gema: Sentido bairro desvia da Avenida Anita Garibaldi e passa pela José Pedroso, Vereador Garcia Rodrigues, Pedro Fabri e Amazonas Marcondes. Sentido Centro deixa as ruas Washington Mansur, Benjamin Zilli e Anita Garibaldi e entra pela Tomazina, Alberto Folloni e Constantino Marochi.

Manifestações

Além de bloquear ruas, os policiais devem acompanhar manifestações populares.

O diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) no Paraná prepara um ato para acontecer a partir das 15h, na Praça Generoso Marques, no Centro de Curitiba, em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A expectativa do partido é reunir cerca de 4 mil pessoas. Lula deve fazer um pronunciamento na praça, às 19h.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) contabilizou, até as 10h30, a passagem de pelo menos 33 ônibus com manifestantes que participarão de atos a favor do ex-presidente em Curitiba. A maior parte dos ônibus chegou pela BR-277 vindos do interior do Paraná (25). Outros cincos ônibus vieram de Santa Catarina pela BR-376. E três, de São Paulo, pela BR-116.

Também está confirmado para esta quarta-feira um ato contra o ex-presidente, no Museu Oscar Niemeyer. A concentração começa às 13h e deve seguir até o fim do depoimento de Lula.

Interrogatório

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva volta a Curitiba nesta quarta-feira (13) para prestar depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância. O primeiro depoimento do ex-presidente na capital paranaense aconteceu no dia 10 de maio e foi relativo ao caso triplex.

Lula, desta vez, será ouvido pela acusação de ter recebido, da empreiteira Odebrecht, um terreno de R$ 12,4 milhões destinado a ser a nova sede do Instituto Lula – mudança que acabou não saindo do papel – e mais um apartamento de R$ 504 mil em São Bernardo do Campo.

O depoimento acontece na sede da Justiça Federal em Curitiba, de onde Moro conduz os processos. O depoimento começa às 14h e Lula será o primeiro réu interrogado.

Além dele, Branislav Kontic também será ouvido – ele é ex-assessor do ex-ministro Antonio Palocci, que, na semana passada, fez novas acusações contra Lula em depoimento na mesma ação penal.

Também são réus nesta ação Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht, Paulo Melo, ex-diretor da Odebrecht, Demerval Gusmão, proprietário da DAG Construtora, e Glaucos da Costamarques, dono do apartamento vizinho ao do ex-presidente Lula. Todos já foram interrogados.

Outro réu, Roberto Teixeira, amigo e advogado de Lula, será o último a ser ouvido, no dia 20 de setembro. Ele seria interrogado na semana passada, mas a defesa pediu o adiamento por causa de problemas de saúde. Moro remarcou o depoimento de Teixeira para o dia 20 de setembro.