Antibombas é chamado para vistoriar hotel de orquestra israelense em Curitiba

Foto: colaboração / João Frigério / arquivo.
Foto: colaboração / João Frigério / arquivo.

O hotel em que o grupo da Orquestra Filarmônica Jovem de Israel está hospedado em Curitiba passou por varredura do Esquadrão Antibombas (EAB) da Polícia Militar do Paraná (PM-PR), o que chamou atenção de hóspedes e moradores do bairro Alto da Glória. Seguranças também foram posicionados na região do hotel. A orquestra se apresenta nesta terça-feira (14) na capital paranaense.

A vinda do grupo exigiu esquema especial de segurança. Em razão das tensões vividas por Israel no Oriente Médio e ameaças de grupos terroristas como o Estado Islâmico, a produção dos músicos israelenses tomou uma série de precauções.

O produtor Leandro Kanke, que organiza a passagem da orquestra por Curitiba, afirma que o procedimento de segurança é normal e que também é adotado para outras produções semelhantes.

“A gente pede uma vistoria nos lugares por onde ele vão passar: no teatro, no hotel e nos ônibus. Também andamos com segurança acompanhando para o caso de acontecer alguma coisa. É normal. A gente faz essa prevenção. Como eles não conhecem os países às vezes eles ficam com medo, e não queremos que eles se preocupem com essa parte”, minimiza.

O Grande Auditório do Teatro Positivo, local em que o grupo vai se apresentar, também passou por vistoria do esquadrão especial da PM.

Por meio da assessoria, a PM informou que acompanha a passagem do grupo israelense por Curitiba, mas, por questões de segurança, os procedimentos são mantidos em sigilo. As datas e horários das vistorias são aleatórias, afirma a polícia.

O Esquadrão Antibombas no Paraná existe há 24 anos, mas recentemente foi reconfigurado. Antes, o grupo pertencia ao Comandos e Operações Especiais (COE). Em 2013, com a programação de eventos internacionais como a Copa do Mundo de 2014, o grupo foi desmembrado do COE e passou a ser uma das subunidades do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM.

Orquestra 

A Orquestra Jovem de Israel se apresenta nesta terça-feira (14) em Curitiba com um concerto que integra a nova turnê brasileira. São na maioria estudantes da Universidade de Tel Aviv. A turma prepara músicos para a Orquestra de Israel, considerada uma das melhores do mundo.

A preparação oferece aos estudantes um extenso programa de treinamento. Os alunos trabalham com os principais instrumentistas da orquestra.

O grupo dispõe de um programa de Bolsas de Estudos para jovens talentosos carentes do mundo todo – vários brasileiros já foram contemplados.

Atualmente, a apresentação da Orquestra Filarmônica Jovem de Israel conta com cinco músicos brasileiros que estudam atualmente na Escola de Música Buchmann-Mehta.

“São jovens, entre 18 e 25 anos, mais ou menos, estudando música lá e estão nas turnês com a orquestra jovem. É como um estágio. Eles têm a vivência da orquestra e de viajar pelo mundo. E temos seis brasileiros, que são bolsistas indicados para estudar lá”, conta.

A apresentação desta turnê tem regência de Eyal Ein-Habar e solo do violonista Guy Braunstein. O concerto, que integra as comemorações dos 45 anos do Grupo Positivo, tem no programa duas obras de Johannes Brahms: a Sinfonia nº 3 e o Concerto para violino.

A apresentação é nesta terça-feira (14), começa às 20h30, no Grande Auditório do Teatro Positivo. Os ingressos variam entre 35 e 190 reais e podem ser adquiridos pelo Disk Ingressos.

Na turnê, a orquestra também terá ainda três apresentações no Brasil. Duas em São Paulo, nos dias 15 e 18 de novembro, e uma em Ribeirão Preto (SP), no dia 19. O grupo já se apresentou em Belo Horizonte, no dia 12 de novembro.