Após paralisação, motoristas e cobradores de Curitiba aceitam parcelamento salarial

Greve de ônibus em Curitiba.
Foto: Sindimoc

Após acordos com as empresas CCD e São José Filial, os motoristas e cobradores de ônibus das duas viações retomaram as atividades suspensas nessa terça-feira (10). Os trabalhadores haviam cruzado os braços por causa de atrasos no salário de dezembro.

Em assembleia, os trabalhadores da São José Filial aprovaram, durante a tarde desta terça-feira, uma proposta de parcelamento feita pela empresa, para quitar os 60% faltantes. Pelo acordo, que colocou fim à paralisação, eles receberiam 35% do salário ainda na terça-feira, e mais 25% nesta quarta (11), completando o total devido.

Ainda no fim da manhã da terça-feira, os funcionários da CCD, que também haviam parado as atividades, aceitaram recebem 80% do salário na terça e os 20% restantes na quarta-feira.

Além de CCD e São José Filial, em mais duas empresas do transporte coletivo foram registrados problemas com os pagamentos: Tamandaré Filial e Tamandaré Matriz. Nessas, os trezentos funcionários fizeram assembleias e aprovaram indicativos de greve que vencem na sexta-feira, dia 13. Se não receberem o salário até lá, os motoristas e cobradores entram em greve por tempo indeterminado.

Após confirmar o fim das paralisações, o Sindimoc afirmou que deve enviar um ofício ao prefeito Rafael Greca, solicitando audiência para tratar do problema dos atrasos salariais que se estendem há quatro anos. O documento será encaminhado apesar de os repasses da Urbs estarem rigorosamente em dia, segundo o município.

Já a Urbs informou, em nota, “que está rigorosamente em dia com os repasses do Fundo de Urbanização de Curitiba às duas empresas”. Veja o texto na íntegra:

A Urbs informa que os motoristas e cobradores da empresas de transporte coletivo São José Filial e CCD, que paralisaram serviços nesta terça-feira (10), voltaram ao trabalho. A Urbs também ressalta que está rigorosamente em dia com os repasses do Fundo de Urbanização de Curitiba às duas empresas.

As linhas afetadas pela paralisação desta terça-feira (10) foram os alimentadores do eixo Boqueirão (entre as ruas Francisco Derosso e Canal Belém) e do Leste (Avenida das Torres até imediações do Detran-PR). As outras oito empresas funcionam normalmente.

A Urbs destaca que as empresas do transporte coletivo são remuneradas de acordo com o que determina o contrato, constando riscos assumidos, e que cobrará providências do Consórcio Pioneiro, do qual as duas empresas fazem parte. A expectativa é que até o fim da tarde as empresas normalizem o serviço de transporte público nessas regiões.