Câmara inicia consulta pública para o orçamento de 2018

Foto: Rodrigo Fonseca/CMC
Foto: Rodrigo Fonseca/CMC

Repórter Lucian Pichetti da CBN Curitiba

A partir desta quarta-feira (11), as 10 Administrações Regionais de Curitiba, além da sede da Câmara de Vereadores, terão disponíveis urnas para que a população deposite suas sugestões ao orçamento de 2018.

Os pedidos também podem ser feitos pelo site da Câmara. As informações dos moradores servirão de subsídio para as emendas que os vereadores apresentarão antes de votar a Lei Orçamentária Anual (LOA), em dezembro.

De acordo com o presidente da Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização, Thiago Ferro (PSDB), após as consultas públicas feitas pela prefeitura, a Câmara de Vereadores decidiu também ouvir a população sobre o assunto.

“Já tivemos várias consultas realizadas pela Prefeitura, mas agora a Câmara e a Comissão de Economia também abrem a consulta, elas permanecem por uma semana, até o dia 17 de outubro”, disse.

O cidadão não precisa se identificar nas cédulas para enviar as sugestões, as quais podem ser direcionadas a todas as áreas, como educação, abastecimento, ruas, meio ambiente, trânsito, segurança, saúde, saneamento, cultura, esporte e lazer. No dia 24, haverá uma audiência pública na Câmara para apresentar o relatório compilado das solicitações da comunidade.

O secretário de Finanças, Vitor Puppi, estará presente na audiência para falar sobre as principais propostas para o ano que vem.
Em reunião extraordinária nesta segunda-feira (9), a Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização acatou o parecer favorável do vereador Thiago Ferro à LOA. O documento determina onde serão gastos os R$ 8,7 bilhões em receitas estimadas pelo Executivo para 2018. A proposição projeta R$ 7,3 bi em receitas correntes, R$ 318 milhões em receitas de capital e R$ 1 bilhão em receitas intraorçamentárias.

“A prefeitura já tem uma prévia que serão acrescentadas e apresentadas tudo no dia 24 de outubro em uma audiência pública aqui na Câmara”, afirmou.

Segundo o texto, estão previstos R$ 1,1 bilhão para a Educação e R$ 1,6 bilhão à Saúde. Na mensagem do prefeito à Câmara, constam como metas da LOA para 2018 a inclusão do aporte previdenciário no orçamento e ajustes do chamado Plano de Recuperação, aprovado pelo Legislativo.