Casal vítima de homofobia presta depoimento à Polícia Civil

João Pedro e Bruno estão casados há sete anos. | Foto: Reprodução / Facebook

O casal João Pedro Schonarth, de 29 anos, e Bruno Banzato, de 31, que foram alvos de um panfleto homofóbico distribuído na rua em que terminam a construção da casa onde vão morar, no bairro Água Verde, em Curitiba, prestam depoimento para a Polícia Civil, nesta segunda-feira (17).

O caso é investigado na Delegacia de Proteção de Populações Vulneráveis, que registra casos de violência contra Direitos Humanos.

Relembre o caso

No folhetim, com a foto de um casal homossexual, o autor – que não se identifica – diz “se fazem isso em público. Imaginem o que fazem quando estão a sós ou com os amigos mais próximos ou com as pessoas próximas a você [sic]”, e destaca o endereço do casal.

De acordo com o jornalista, os panfletos foram jogados pela rua e recolhidos por uma futura vizinha que entregou para um marceneiro que trabalha na construção do sobrado do casal. “Eu recebi a ligação dele [o marceneiro] dizendo que tinha algo para me mostrar e que não sabia como eu ia reagir”, contou João Pedro.

Segundo o dono do imóvel, a casa foi comprada ainda na planta em setembro do ano passado e esse foi o segundo ataque ao casal. Na última quinta-feira (6), a propriedade foi invadida e alagada pelo duto do ar-condicionado, mas o casal ainda não tinha relacionado o episódio com um ato homofóbico. “Como o imóvel ainda não está no nosso nome, a construtora abriu Boletim de Ocorrência por invasão de propriedade e dano ao patrimônio. Por sorte, não houve dano estrutural”, afirmou Schonarth. “Foi uma sabotagem com o intuito de nos amedrontar, de nos atingir e de nos agredir”, declara o futuro morador.

Os jovens estão casados há sete anos e aguardam na fila de adoção.

Manifestação

Cerca de 120 pessoas se reuniram no último sábado (15) para apoiar o casal, Praça Elias Abdo Bittar, bairro Água Verde, na capital. A reunião contou com vizinhos, familiares, amigos do casal e lideranças do movimento LGBT.

O local do ato fica a menos de duas quadras da nova residência do casal. A manifestação durou aproximadamente duas horas, contou com apresentações musicais e palavras de ordem e foi finalizada com uma caminhada até a nova casa.