Greve do transporte também tem sabotagem

Mesmo com a frota mínima estabelecida pela Justiça uma série de ações registradas nas ruas de Curitiba na última sexta-feira diminuíram ainda mais a freqüência de ônibus na cidade, que vice um greve de motoristas e cobradores desde a última quarta-feira.

O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros (Setransp) informou que foi notificado ontem, pela Prefeitura, que não havia cobradores em nenhuma das 60 estações tudo do eixo Leste-Oeste e Central, nas linhas Pinhais – Rui Barbosa e Centenário – Campo Comprido. Diante da informação, as empresas retiraram os ônibus biarticulados de circulação e passaram a atender as linhas com ônibus articulados, com cobradores dentro do veículo e realizando os embarques fora das estações tubo.

O Setransp também divulgou imagens de gravações feitas nas proximidades do Terminal Guadalupe, no centro de Curitiba, em que homens foram flagrados abordando ônibus, obrigando os passageiros a desembarcarem e esvaziando os pneus dos veículos. O Sindicato dos Motoristas e Cobradores afirmou que nenhuma das pessoas que aparecem no vídeo é ligada à entidade e que tomará medidas cabíveis contra esses atos.

A greve de motoristas e cobradores da região de Curitiba deve durar, pelo menos, até terça-feira, data para qual foi marcada a retomada das negociações com mediação do Tribunal Regional do Trabalho. Nesta sexta-feira, após mais de quatro horas e meia de audiência, não houve acordo, com as empresas mantendo a proposta de pagar apenas a correção da inflação (5,43%) e os trabalhadores exigindo um reajuste de 15%. Se não houver acordo na terça-feira, a desembargadora Marlene Suguimatsu, vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, julgará o dissídio coletivo.