Após reajuste de impostos, alta nos combustíveis chega a R$ 0,70

combustíveis

O preço dos combustíveis subiu até R$ 0,70 nos postos de Curitiba e Região, na manhã desta sexta-feira (21).

O presidente Michel Temer assinou ontem (20) o decreto que autoriza o aumento dos impostos sobre os combustíveis.  O reajuste aplicado pelo governo é de aproximadamente R$ 0,40.

No Posto XIV Bis da Petrobras, na Matheus Leme, o preço da gasolina comum subiu de R$ 3,07 para R$ 3,79 nesta manhã; reajuste de R$ 0,72. No Auto Posto Nilo Cairo, na rua Tibagi no centro de Curitiba, o combustível que custava R$ 3,04 é vendido por R$ 3,69, aumento de R$ 0,65. No posto Star, no bairro Portão, a gasolina é comercializada por R$ 3,59, o preço antigo era de R$ 3,09, o reajuste é de R$ 0,50.

No Posto Ipiranga da Av. Juscelino Kubitscheck na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), a gasolina é vendia por R$ 3,49, mesmo preço aplicado nas últimas semanas. O posto Extra da Av. Pres. Kennedy não havia aplicado o reajuste até às 10 horas de hoje e a venda do combustível continua no valor de R$ 2,97. De acordo com consumidores, há longas filas para abastecer no local.

Os preços antigos são divulgados de acordo com a tabela da Agência Nacional do Petróleo.

O perito Carlos Eduardo afirmou que o reajuste terá grande impacto financeiro no orçamento pessoal. “Eu trabalho com o meu carro e viajo entre 100 e 600 quilômetros ao dia, usando até 60 litros de combustível, que com o reajuste representa R$ 42 por dia [calculando a alta de R$ 0,70], cerca de R$ 930 no mês”. No caso de Carlos, a empresa paga um valor fixo por quilômetro rodado para combustível e manutenção do veículo. “Ainda não abasteci na bomba, mas tenho certeza que o impacto financeiro será grande”, concluiu.

Os postos que ainda não aumentaram os preços devem reajustar até o final do dia. Por meio de nota, o Sindicombustíveis – sindicato que representa os postos, afirmou que vê com preocupação a alta nos preços. “Entendemos, por fim, que o aumento da carga tributária é especialmente prejudicial num quadro de recessão, pois transfere recursos do setor privado para o público. Perdem todos. Empresas, consumidores e a sociedade em geral”.

Valores do reajuste dos impostos

A alíquota subirá de R$ 0,3816 para R$ 0,7925 para o litro da gasolina e de R$ 0,2480 para R$ 0,4615 para o diesel nas refinarias. Para o litro do etanol, a alíquota passará de R$ 0,12 para R$ 0,1309 para o produtor. Para o distribuidor, a alíquota, atualmente zerada, aumentará para R$ 0,1964.

A medida foi a alternativa encontrada pelo governo para aumentar a arrecadação em R$ 11 bilhões, para equilibrar as contas públicas.

Confira na íntegra a nota do Sindicombustíveis:

Neste cenário de grandes dificuldades que o país atravessa, o Sindicombustíveis-PR vê com grande preocupação a elevação de impostos anunciada pelo governo federal.
 
O aumento do PIS/Cofins, na dimensão em que foi realizado, mais que dobrando seu valor no caso da gasolina, terá inevitavelmente grande e imediato reflexo nos preços. Se por um lado as distribuidoras de combustíveis em geral repassam os aumentos de impostos com agilidade, por outro a margem de lucro praticada pela ampla maioria dos postos é menor que o próprio aumento.
 
A revenda de combustível é um dos setores do comércio que trabalha com as menores margens de lucro devido à grande concorrência entre as empresas. Num cenário de recessão há mais de dois anos, grande parte dos postos opera com estoques baixos, devido ao alto custo do capital de giro. Assim, a renovação de estoque é feita praticamente todos os dias. 
 
Salientamos, ainda, que a carga de impostos sobre os combustíveis no Brasil já é extremamente pesada. No caso da gasolina, os tributos estaduais e federais representam cerca de 50%.
 
Entendemos, por fim, que o aumento da carga tributária é especialmente prejudicial num quadro de recessão, pois transfere recursos do setor privado para o público. Perdem todos. Empresas,  consumidores e a sociedade em geral.
 
Sindicombustíveis-PR – Sindicato dos Revendedores de Combustíveis e Lojas de Conveniências do Estado do Paraná