Contra Lula, manifestantes acompanham julgamento na Justiça Federal

Foto: Narley Resende
Foto: Narley Resende
Narley Resende, Andreza Rossini e Ana Flávia Silva da BandNews Curitiba. 

Cerca de 15 pessoas representantes dos movimentos “Curitiba Contra a Corrupção” e do “Acampamento Lava Jato” estão acompanhando a sessão do julgamento do ex-presidente Lula em frente ao prédio da Justiça Federal, em Curitiba.

Uma televisão ligada à internet faz a transmissão em tempo real da sessão. Um forte efetivo da Polícia Militar, com a cavalaria, acompanha a movimentação.

Com faixas pedindo a prisão de Lula, o grupo também deve permanecer na praça e não tem previsão de passeatas.

“Esperamos que seja confirmada a sentença de Sérgio Moro. Acreditamos que ele foi o chefe do esquema de corrupção na Petrobras e, se tem provas contra ele, deve ser condenado porque ninguém está acima da lei”, afirmou o coordenador do movimento Curitiba Contra Corrupção, Cristiano Roger.

Paula Milane, do Acampamento Lava Jato, afirmou que a expectativa é que a adesão a manifestação aumente. “Vamos ficar aqui até o final do dia e estamos preparando algumas surpresas para a tarde. O pessoal está trabalhando e acredito que no final do dia venha muita gente para cá”.

Manifestantes pró-Lula acompanham julgamento em Curitiba

 

Julgamento

Com Metro Curitiba

Três desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) vão validar ou não a sentença de nove anos e seis meses de prisão imposta ao petista pelo juiz Sérgio Moro no caso do tríplex do Guarujá (SP).

Nenhum veredicto anunciado hoje terá caráter definitivo, já que as duas questões em jogo – a possibilidade de Lula concorrer nas eleições deste ano e de ser preso – estarão sujeitas a recursos do petista, que responde a outros oito processos na Justiça.

O placar do julgamento é crucial para Lula. Se perder por 2 votos a 1, o petista terá direito a entrar com embargos infringentes, que podem arrastar a decisão final por meses e até reverter o resultado. Um revés por 3 a 0 limitaria a defesa aos embargos de declaração, que não alteram a sentença e podem ser julgados em menos de um mês.

Condenação na primeira instância

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a 9 anos e seis meses de prisão, por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em julho de 2017. A sentença foi dada em primeira instância pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato.