Motoristas e cobradores fazem “vi nada” na sede da Urbs

Foto: Reprodução Facebook
Foto: Reprodução Facebook

Aproximadamente 200 motoristas e cobradores fizeram uma “vinada”, na tarde desta quinta-feira (16), na sede da Urbs, empresa que administra o transporte público de Curitiba. O ato marcou o segundo dia de greve da categoria, que protesta pelo reajuste salarial.

Os trabalhadores se reuniram em frente ao órgão, na Rodoferroviária de Curitiba, e distribuíram sanduíches de vina (salsicha), em analogia a ausência de diálogo com a prefeitura. Após o manifesto, o presidente da Urbs, José Antonio Andreguetto, aceitou receber uma comitiva do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região (Sindimoc).

Os profissionais pedem 15% de reajuste salarial. Enquanto as empresas oferecem 5,43%.

Frota mínima

A Urbs garantiu na Justiça a liminar que determina frota mínima de 50% em horários de pico e 40% nos demais períodos. De acordo com a Prefeitura de Curitiba, no fim da tarde desta quinta-feira (16), apenas 37% dos ônibus circulavam pela capital. Pouco depois das 18 horas a frota subiu para 42%, segundo o executivo.

A Justiça do Trabalho fixou multa de R$ 100 mil por hora, caso a medida não fosse cumprida pelo sindicato. O Sindimoc, por sua vez, diz que a frota circulante é de responsabilidade das empresas de transporte coletivo.