Mulheres marcam ato contra PEC que proíbe aborto em caso de estupro

Aborto

Cerca de 1,5 mil pessoas confirmaram presença na manifestação marcada para acontecer na tarde desta segunda-feira (13), na Praça 19 de Dezembro, no centro de Curitiba. Outras 4,5 mil apresentaram interesse no evento.

Um evento organizado por mulheres da capital protesta contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 181, que prevê a proibição do aborto em casos nos quais a interrupção da gravidez já é liberado pela Constituição. ” O direito ao aborto legal em casos de gravidez por estupro ou risco de morte para a mãe são direitos permitidos desde 1940 pelo Código Penal Brasileiro.  Querem que a mulher que engravide de um estuprador não tenha direito ao aborto. E pior: seja presa por interromper a gravidez ou morra em um aborto clandestino. Estão nos obrigando a viver uma segunda violência! É pela vida das mulheres! Nenhum direito à menos!”, diz a descrição do evento. 

A PEC está em análise no Congresso Nacional.

Atualmente, no Brasil, o aborto é permitido em casos de riscos comprovados para a vida da mulher, gestantes com fetos anéncefalos e em casos de estupro.

Na última sexta-feira, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, escreveu na sua página na rede social Facebook que a eventual proibição de aborto em casos de estupro não vai passar na Casa.

“É óbvio que está na comissão, não vamos entrar nesse tema sem ter muita clareza que essa questão [do eventual impedimento de aborto em casos de estupro] não vai ser prejudicada de forma nenhuma”, escreveu.

Uma Comissão Especial que analisa o tema aprovou o texto na última quarta-feira, ainda faltam 11 destaques a serem votados.