Pacote de ajustes de Greca sofre críticas de vereadores

Foto: Chico Camargo/CMC
Foto: Chico Camargo/CMC
Metro Curitiba

Representantes da prefeitura de Curitiba foram na quarta-feira (19), pela segunda vez neste mês, defender o pacote de ajustes enviado por Rafael Greca (PMN) à Câmara Municipal. Embora os 12 textos ainda nem tenham sido enviados para as comissões, vereadores já estão planejando emendas.

“Até pelo momento de crise que estamos passando, concordamos que algo tem que ser feito. Mas em alguns pontos tem que ajudar os servidores, é direito adquirido”, diz o vereador Doutor Wolmir (PSC), presidente da comissão de legislação da Casa.

O corte do vale alimentação em caso de falta, por exemplo, é alvo de críticas. “Não concordamos que, ao ter uma falta, o servidor perca todo o auxílio alimentação do mês”, protestou a representante do Sismuc, Irene Rodrigues. “Descontar integralmente após uma falta fica difícil”, concordou o vereador Tico Kuzma (PROS).

Outro ponto criticado foi o aumento do imposto sobre as compras de imóveis até R$ 300 mil. “Deveriam pagar mais os imóveis mais caros”, defendeu Goura (PDT). Já o vereador Wirbiski (PPS) adiantou que pretende apresentar uma emenda para manter as alíquotas atuais.

O vereador Paulo Rink (PR), sugeriu que a taxa de administração do “CuritibaPrev” (novo fundo de aposentaria proposto) seja definida por lei e não pelo futuro conselho. O secretário de finanças, Vitor Puppi, se mostrou favorável à ideia.

Arrecadação

O secretário municipal de finanças Vitor Puppi disse que Curitiba “está atrasada” na tecnologia de cobrança de impostos. “Optou-se (na gestão anterior) por brigar com o ICI, mas isso não deu certo e nos atrasou nessa área”.

A prefeitura garantiu, no entanto, que não abriu mão da ação judicial impetrada pela gestão anterior contra o instituto. O ex-prefeito Gustavo Fruet (PDT), no entanto, diz que Greca “deu de graça” o código-fonte do sistema ao ICI. O secretario de governo, Luiz Fernando Jamur, contestou: “Recebemos o contrato (com o ICI) vencido, sendo pago por ressarcimento. Não existe cidade que funcione sem tecnologia da informação na gestão das finanças, da educação, dos postos de saúde”.

Tramitação do pacote de ajustes 

Ainda nesta semana estão sendo aguardados os primeiros pareceres jurídicos sobre os projetos de lei. Assim na próxima semana, eles podem ir para as comissões onde poderão ser modificados. Ontem o presidente da Casa, Serginho do Posto (PSDB) reafirmou que não haverá reg