Palácio Garibaldi passa por vistoria após polêmica envolvendo casamento de deputada

palácio garibaldi
Foto: Reprodução/RPC
Repórter Fábio Buchmann da CBN Curitiba

O  resultado da vistoria da Coordenação de Patrimônio Cultural do Estado no Palácio Garibaldi deve sair em 48 horas, segundo informações repassadas pela assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Cultura.

O pedido de análise partiu da Sociedade Garibaldi, que administra o espaço, que já é usado tradicionalmente para a realização de casamentos, festas e outros eventos.

A construção de uma estrutura metálica na parte de fora do prédio, impedindo parcialmente o acesso visual ao palácio, chamou atenção do público nos últimos dias.

A intervenção é realizada para o casamento da deputada estadual Maria Vitória (PP), filha da vice – governadora do Paraná, Cida Borghetti, e do Ministro da Saúde Ricardo Barros.

A legislação vigente para o patrimônio histórico e cultural no Paraná proíbe construções na vizinhança do prédio tombado, que impeçam ou reduzam a visibilidade.

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

O Palácio Garibaldi foi construído entre 1887 e 1904. E desde 1988 é considerado patrimônio histórico.

Arquitetura

De acordo com o arquiteto Key Jr., ex-integrante do Conselho Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná, mesmo que provisória, a estrutura não poderia ter sido instalada sem o aval prévio dos órgãos responsáveis

“Toda intervenção precisa ser autorizada pelos órgãos competentes, então é ilegal fazer dessa maneira. Uma estrutura metálica muito grande, leva muito tempo para ser feita e vai levar muito tempo para ser tirada, então enquanto isso nós estamos sem a nossa paisagem que é uma das mais bonitas de Curitiba”, afirmou.

O arquiteto diz ainda que este tipo de situação prejudica a imagem da cidade. Ele cita a Feirinha do Largo da Ordem, onde boa parte dos visitantes pôde observar a estrutura bem de perto no último domingo. “Tem de 20 a 25 mil visitantes por domingo, destes muitos são turistas que viram uma das nossas principais paisagens deformadas”.

Representantes do Conselho de Arquitetura e Urbanismo também participaram da vistoria. O coordenador de planejamento, pesquisa e fiscalização do Conselho, Walter Linzmayer, diz que a vistoria teve como um dos objetivos verificar se havia arquitetos desenvolvendo a atividade de forma irregular.

“Como se trata de um patrimônio, um bem histórico, um tombamento, o único profissional que poderia estar coordenando o processo em execução seria o arquiteto urbanista. Levantamos se existe algum profissional ou empresa registrada no nosso conselho atuando. A fiscalização se deu sobre possível exercício ilegal ou não da profissão e se existiria alguma falta ética de um profissional envolvido”, explicou Linzmayer.

O conselho diz que ainda é cedo para falar sobre o resultado e os efeitos da vistoria. No entanto, caso sejam constatadas irregularidades com relação aos profissionais que trabalharam na estrutura, o caso pode ser alvo de uma sindicância. “Dependendo da situação pode ser regulamentada e corrigida sem maiores problemas, se não será aberto processo administrativo interno que vai seguir as nossas normativas”.

Outro lado

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Em nota a Deputada Maria Victoria falou sobre a polêmica. De acordo com o texto, a estrutura no Palácio Garibaldi é provisória, não tem sustentação no edifício e não vai bloquear a visibilidade do prédio.  Diz a nota ainda que o Palácio foi escolhido pelo vínculo afetivo e familiar. A família é sócia e possui laços históricos com a Sociedade Garibaldi, é  uma das principais interessadas na preservação e na conservação do local.

Lembrando que a mãe dela Cida Borghetti, já fez parte do Conselho Deliberativo da Sociedade Garibaldi.

O presidente da Sociedade, Benoni Manfrin, também se manifestou sobre o assunto. Em uma mensagem divulgada em redes sociais, é informado que a Associação Garibaldi é uma entidade particular constituída atualmente por cerca de 60 sócios contribuintes com uma mensalidade de R$ 50.  “Tem se pautado intransigentemente pela conservação do Palácio Garibaldi. Obra que orgulho a imigração Italiana e a todos os curitibanos”

Diz o texto também que existe um projeto em execução para ampla reforma do espaço, e que os integrantes da entidade jamais permitiriam qualquer tipo de depredação da edificação.

O casamento de Maria Victoria está marcado para a próxima sexta-feira (14). A montagem da estrutura em frente ao local começou há dez dias.