Prefeitura admite erro em projeto da previdência em Curitiba

Diretor-presidente do IPMC, José Taborda Rauen, pediu desculpas. Foto: Filipi Oliveira/CMC
Diretor-presidente do IPMC, José Taborda Rauen, pediu desculpas. Foto: Filipi Oliveira/CMC

Metro Jornal Curitiba

O diretor-presidente do IPMC (Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Curitiba), José Taborda Rauen, pediu desculpas ontem ao presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Serginho do Posto (PSDB), por um erro no projeto de lei que modifica o sistema previdenciário dos servidores.

O texto foi entregue na Câmara como parte do pacote de austeridade e apontou que existem 4.578 pensionistas, quando na verdade são 2.289.

“Após questionamentos da Comissão de Legislação, fizemos um levantamento e descobrimos que houve duplicação do número de pensionistas no cálculo atuarial”, disse Rauen, sem explicar como ocorreu a falha.

O erro foi denunciado pelos sindicatos dos servidores municipais e também pela vereadora Professora Josete (PT). Com a correção, o cálculo do déficit do IPMC caiu de R$ 15 bilhões para 14,3 bilhões, segundo a prefeitura.