Petrobras anuncia redução de 3% no preço da gasolina nas refinarias

Mariana Ohde

Em meio à discussão sobre a formação do preço dos combustíveis nos postos brasileiros, a Petrobras anunciou nesta quinta-feira (8) a maior redução dos valores da gasolina e do diesel de 2018. A partir desta sexta-feira (9), os novos preços estarão 3% menores para a gasolina e 2,6% para o diesel nas refinarias.

A Petrobras vem informando quase diariamente em seu site os preços a serem praticados nas refinarias. A queda de preços anunciada hoje é a maior deste o final do ano passado. De 29 de dezembro de 2017 a 9 de fevereiro de 2018 a estatal fez 29 anúncios de preços nas suas unidades de refino.

No caso do diesel, foram anunciadas 14 reduções e 15 aumentos de valores. Já a gasolina teve 15 anúncios de queda e 14 altas de preços.

Nos últimos três dias, a empresa anunciou diminuição de valores do diesel e da gasolina de 1,8% e 0% na quarta-feira (7); 0,7% e 1,5% na quinta e 2,6% e 3% nesta sexta.


Enquanto isso, para o consumidor, essa política de preços não reflete na hora de abastecer o carro. De acordo com o levantamento de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), na semana entre 28 de janeiro e 3 de fevereiro de 2018, o preço máximo do litro da gasolina chegou a R$ 5,15 e o mínimo ficou em R$ 3,579.

No Paraná, o preço médio está em R$ 4,14. O preço máximo encontrado nos 367 postos pesquisados no estado foi de R$ 4,49 e o mínimo foi de R$ 3,69.

Já o litro do diesel, no mesmo período, custava R$ 4,479 e R$ 2,939 em todo o Brasil.

Esclarecimentos

Nesta quinta-feira (8), o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, pediu ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que apure o motivo de as constantes quedas dos preços dos combustíveis não serem repassadas para os consumidores.

“De fato hoje encaminhamos ao presidente do Cade uma solicitação para que a nova política que está sendo implementada pela Petrobras gere as consequências no bolso do consumidor; do brasileiro”, disse Moreira.

Segundo o ministro, durante muito tempo o país teve uma política de preço baseada no tabelamento, fato que teria gerado “uma série de hábitos culturais”.

“Já a nova política é para beneficiar os consumidores, com a concorrência entre fornecedores. O consumidor tem o direito de escolher o preço mais baixo. Isso só se dá quando existe concorrência; quando não há cartel”, afirmou o ministro.

Moreira Franco avaliou que “o que nós estamos vendo é que os resultados já obtidos quanto a queda dos preços da Petrobras não se reflete na bomba de gasolina. Ou seja, o consumidor não está sendo beneficiado por essa nova política, que existe justamente para beneficiar o consumidor”.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook