Sociedade Rural critica “denúncia generalizada”

Foto: Faep

A Sociedade Rural do Paraná reagiu às denúncias de irregularidades cometidas por frigoríficos, denunciadas na Operação Carne Fraca da Polícia Federal (PF) com nota publicada nesta segunda-feira (20) no site da instituição pedindo mais cautela na divulgação dos fatos.

“Somos terminantemente contra as proporções que o caso tomou, devido à divulgação do fato de forma generalizada, como se toda nossa produção estivesse em xeque e todos os fiscais de sanidade fossem corruptos”, diz o texto.

A Sociedade Rural reforça que apoia as investigações e pede a punição dos responsáveis o mais rápido possível para evitar que todo o setor seja prejudicado.

“O produtor brasileiro vem investindo pesadamente em boa genética e de seu rebanho e nosso país é, reconhecidamente, produtor de carne de qualidade. Não podemos deixar que as investigações, que atingiram algumas das plantas industriais, respinguem em todo o setor.

Queremos que todos os fatos sejam esclarecidos o mais breve possível, com clareza e informação de qualidade, que mostrem o quão pontual são os problemas e o que representam no contexto geral. Nossa carne é segura e produzida com empenho e muito investimento”.

A reação ocorre ao mesmo tempo em que a China, a União Européia (UE) anunciam que vão barrar  a entrada de produtos de todas as empresas envolvidas na investigação. A Coréia do Sul também vai reforçar a fiscalização.

“As repercussões deste fato poderão trazer grandes prejuízos e impactar de forma negativa na cadeia do agronegócio, um setor que traz bons resultados e orgulho ao país. Por isso, pedimos mais cautela e apuração minuciosa antes da divulgação dos fatos de forma tão generalizada”, finaliza a nota.

 

 

Veja a nota na íntegra:

“A Sociedade Rural do Paraná apoia a fiscalização da Polícia Federal denominada Carne Fraca e repudia qualquer prática que possa trazer algum prejuízo ao consumidor.  No entanto, somos terminantemente contra as proporções que o caso tomou, devido à divulgação do fato de forma generalizada, como se toda nossa produção estivesse em xeque e todos os fiscais de sanidade fossem corruptos.

O produtor brasileiro vem investindo pesadamente em boa genética e de seu rebanho e nosso país é, reconhecidamente, produtor de carne de qualidade. Não podemos deixar que as investigações, que atingiram algumas das plantas industriais, respinguem em todo o setor.

Queremos que todos os fatos sejam esclarecidos o mais breve possível, com clareza e informação de qualidade, que mostrem o quão pontual são os problemas e o que representam no contexto geral. Nossa carne é segura e produzida com empenho e muito investimento.

As repercussões deste fato poderão trazer grandes prejuízos e impactar de forma negativa na cadeia do agronegócio, um setor que traz bons resultados e orgulho ao país. Por isso, pedimos mais cautela e apuração minuciosa antes da divulgação dos fatos de forma tão generalizada”.