China e União Europeia barram empresas envolvidas na Carne Fraca e Coreia do Sul aumenta fiscalização

Foto: Divulgação APPA
Foto: Divulgação APPA

Após o escândalo de irregularidades cometidas por frigoríficos, denunciadas na Operação Carne Fraca da Polícia Federal (PF), a União Européia (UE) anunciou que todas as empresas envolvidas na investigação terão acesso negado ao mercado europeu.

“A Comissão garantirá que quaisquer dos estabelecimentos implicados na fraude sejam suspensos de exportar para a UE”, disse um porta-voz da Comissão Europeia em coletiva de imprensa. Ele também afirmou que o caso não vai impactar nas negociações em curso entre o Mercosul e a UE.

O Ministério da Agricultura da Coréia do Sul informou que vai intensificar a fiscalização da carne de frango importada do Brasil e banir temporariamente a venda dos produtos da BRF, uma das grandes empresas denunciadas pela PF. A partir de agora, fornecedores brasileiros serão obrigados a encaminhar um certificado de saúde das carnes, emitido pelo governo.

Em 2016, cerca de 80% das 107.400 toneladas de frango importadas pela Coreia do Sul vieram do Brasil, sendo que quase a metade foi fornecida pela BRF.

Cerca de 40 empresas, incluindo as gigantes BRF e JBS estão envolvidas na operação, que aponta fraude na fiscalização sanitária com pagamento de propina para liberação de mercadorias estragadas e adulteradas.

Após um caso de gripe vária ser detectado em uma granja no Tennessee, a Coreia do Sul baniu as importações de frango dos EUA.

China

A China é um dos principais compradores de carne do país e suspendeu os embarques de mercadorias do Brasil por uma semana. Os três frigoríficos envolvidos na Operação Carne Fraca, não exportavam para a China.

Em nota, a BRF  alegou não ter recebido nenhuma notificação sobre a suspensão dos produtos: “a BRF informa que não recebeu nenhuma notificação oficial das autoridades brasileiras ou estrangeiras a respeito da suspensão de suas fábricas por países com os quais mantém relações comerciais, incluindo Coreia do Sul e União Europeia.”