Justiça determina cancelamento de assembleia de sócios do Atlético-PR

Foto: Site Oficial CAP

A Justiça do Paraná, por meio do Desembargador Carlos Eduardo Andersen Espínola, da 6ª Câmara Cível de Curitiba, determinou o cancelamento da assembleia geral de sócios do Atlético-PR. A reunião aconteceria neste sábado (9) para debater valores de ingressos, proibição de materiais da torcida, planos de sócios, além das contas com as obras da Copa 2014.

Eram necessárias 2.056 assinaturas para que a assembleia acontecesse, o que equivale a um quinto dos sócios. O grupo que encabeçou a manifestação chegou a entregar um documento com 3.667 assinaturas. Porém, de acordo com o Atlético-PR, apenas 1.260 delas estão dentro dos requisitos previstos no estatuto do clube. Uma liminar requerida pelos organizadores do movimento tinha garantido a realização da assembleia, mas após a divulgação desses números a antiga decisão foi derrubada.

Não cabe recurso

O desembargador também excluiu a possibilidade de recurso tendo em vista o que está previsto no estatuto. “Os sócios do CAP, sem exceção, devem submissão (isto é, sujeitaram-se) às disposições estatutárias”, diz.

Além disso, Espínola citou algumas inconformidades encontradas no material enviado pelos sócios. Uma delas seria o número inferior ao informado e nomes rasurados.

“O requerimento de convocação de Assembleia Extraordinária Geral de Sócios apresentou um total de 3.420 (três mil quatrocentos e vinte) assinaturas, número este inferior ao informado pelos agravantes, e, dentre elas: 314 (trezentas e quatorze) foram preenchidas de forma incompleta, o que inviabilizou a localização dos supostos sócios na base de dados do clube; 535 (quinhentos e trinta e cinco) completavam menos de 18 (dezoito) anos de idade; 41 (quarenta e um) não eram sócios ativos do CAP; 1.171 (mil cento e setenta e um) possuíam menos de 3 (três) anos de vida associativa ininterrupta; bem como 99 (noventa e nove) eram inadimplentes”, explica o despacho.