Adriano de Souza é o campeão no surfe, curitibano Yago fica em terceiro

Leopoldo Scremin
Leopoldo Scremin

Por Leopoldo Scremin

Em um dia para entrar na história da Praia de Saquarema, litoral norte do Rio de Janeiro, o brasileiro Adriano de Souza, o Mineirinho conquistou pela primeira vez a etapa brasileira do World Surf League, campeonato mundial de surfe.  Supremo desde a primeira fase da competição, o campeão mundial de 2015 venceu três baterias nesta quarta-feira e agora intensifica a luta pelo bicampeonato mundial. O curitibano Yago Dora terminou em terceiro.

Mineirinho já havia demonstrado todo seu talento nas fases preliminares da competição, e sem passar pela repescagem não surfava desde quinta feira. Depois de três dias sem competição, a manhã abriu com ondas enormes e a organização aproveitou para colocar todos os atletas na água.

O primeiro adversário de Adriano foi o australiano Joel Parkinson, que havia eliminado o brasileiro Wiggoly Dantas pela manhã. Adriano foi muito superior, alcançando a maior nota do dia, um 9,83. Depois foi a vez de encarar o curitibano erradicado em Florianópolis, Yago Dora, que já havia despachado nada menos que três campeões mundiais.

Porém Mineirinho não foi o quarto, e com boas ondas e muita experiência deixou para trás o novato em decisões do circuito e avançou a final para enfrentar o australiano Adrian Buchan. E foi apertada a decisão, fazendo com que o público presente fosse ao delírio.

Mineirinho foi o primeiro a conseguir uma boa onda, e depois de encaixar outra com nota 7,83 abriu grande vantagem para Buchan. Porém o australiano se manteve tranquilo a poucos minutos do fim conseguiu uma nota 9,20, precisando de uma onda simples para virar o jogo. Mas Mineirinho não deixou por menos e “quebrou tudo” ao conseguir uma grande onda e levar o público ao delírio com uma nota 9,80.

O australiano ainda conseguiu mais uma boa onda (8,03), mas não o suficiente para passar o brasileiro, que já nos segundos finais comemorava dentro d’água. No final, a vantagem foi de 17,63 contra 17,23.

“Estou muito feliz com tudo isso”, disse Mineirinho. “Nem sei como agradecer a Deus e a esta torcida por tudo. Estava sem chegar ao pódio desde dezembro de 2015 e batalhei muito neste período. Isso demonstra o que é o povo brasileiro, que mesmo com todas as dificuldades com um sorriso no rosto.”

Curitibano surpreendeu:

Outro grande destaque da etapa brasileira do WSL foi o curitibano Yago Dora, que depois de entrar no campeonato como convidado foi “escalando” a competição e deixou para trás nada menos que três campeões mundiais pelo caminho: Mick Fanning, Gabriel Medina e o atual campeão John John Florence.

Yago, que atualmente vive em Florianópolis, não disputa todas as etapas do WSL, e a partir de agora deve ter um pouco mais de ajuda – leiam-se patrocínios – para conseguir disputar a elite do surfe mundial. O paranaense ficou conhecido por ser o primeiro surfista a executar o “back flip” em cima de uma prancha.