Atlético-PR dá apoio jurídico a Luciano Cabral

Sur Dia

O Atlético-PR está atento aos passos da polícia de General Alvelar, na Argentina, responsável pela investigação do assassinato de Joan Villegas, no primeiro dia do ano, e que resultou na prisão do meia Luciano Cabral na terça-feira. Em entrevista ao Diário Lance! nesta quinta (5), o presidente do Furacão, Luiz Sallim Emed disse que o clube soube das notícias apenas pelo que foi divulgado pela imprensa – argentina e brasileira.

“Nós, do Atlético-PR, tivemos muita dificuldade de saber o que aconteceu. Inicialmente, foi descartada a participação dele mas, com este fato novo, no qual ele foi incluído como suspeito, fica mais complicado de a gente saber outros detalhes”, avaliou.

O jogador ainda não foi totalmente investigado e não há definição sobre sua situação. Cabral foi detido após prestar depoimentos à polícia de forma espontânea, antes disso, os policiais já haviam prendido seu pai José Cabral e um sobrinho de 17 anos. A polícia fez buscas na casa de Cabral e deve liberar o atleta ou não após os resultados da perícia.

Antes do caso vir à tona, Cabral chegou a ligar para o clube e garantir sua reapresentação dia 11. Já Emed, disse que o clube colocou-se à disposição. “Ele nos tranquilizou, mas tudo mudou depois de ontem (quarta-feira) termos uma notícia nova no jornal. Colocamos o departamento jurídico do Atlético-PR à disposição, mas esta é uma questão muito pessoal, até por conta do desconhecimento do nível do envolvimento. E, certamente, ele contratou um advogado”, concluiu.