Caso Getterson será julgado no Pleno do TJD-PR

Ruthe Precoma

O Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) julga nesta quinta-feira (15), o recurso impetrado pelo Jotinha contra denúncia feita pela Federação Paranaense de Futebol (FPF) que resultou na perda de 16 pontos e uma multa de R$ 30 mil. A denúncia alega irregularidades na escalação do atacante Getterson em três partidas do Estadual, mas o clube se defende com base no regulamento, ao qual o aproveitamento do atacante, que estava emprestado ao clube norte-americano Dallas, estaria regular.

Um efeito suspensivo impetrado pelo Jurídico do JMalucelli, conquistado na noite de sexta-feira (10), junto ao Tribunal de Justiça Desportiva-TJD-PR, garantiu ao Jotinha a retomada dos 16 pontos perdidos e a suspensão da multa de R$ 30 mil que o clube recebeu há duas semanas, após uma denúncia da Federação Paranaense de Futebol (FPF) sobre uma suposta irregularidade nas escalações do atacante Getterson em três partidas do Estadual. Além da suspensão da perda de pontos e da multa, o caso deverá ser julgado na próxima quinta-feira, no Pleno do Tribunal.

O caso do Jotinha vem sendo contestado também por outros especialistas, que alegam não haver motivos para o clube ser penalizado. “Ainda que não estivesse no BID, Getterson não estaria irregular, pois o regulamento do Campeonato Paranaense contempla essa hipótese, dando aos clubes um prazo de até a 9ª rodada de regularizar”, escreveu Augusto Mafuz em sua coluna no portal parana-online.

Mafuz se baseia no regulamento da competição para defender a ideia. “§ 3º – Atletas em retorno de empréstimo podem participar com condições de jogo no CAMPEONATO, desde que não tenham atuado por outro CLUBE no mesmo CAMPEONATO, e desde que o processo de retorno seja efetivado no Boletim Informativo Diário-eletrônico (BID-e), até o último dia útil que anteceder a Nona Rodada do turno único da Primeira Fase”.