Coritiba tem que torcer para o Atlético. Toledo, para o Cascavel. As ironias da última rodada da Taça Dionísio Filho

Divulgação Coritiba
Divulgação Coritiba

Quarta-feira, 21h45, as 12 equipes que disputam o Campeonato Paranaense entram em campo para a disputa da última rodada da fase de classificação da Taça Dionísio Filho, o primeiro turno do estadual. Quando as partidas acabarem, apenas quatro equipes seguirão com chances de conquistar o troféu. Serão os semifinalistas. O Atlético já está garantido. As outras três vagas seguem em aberto e nada menos que oito equipes podem conquista-las. Com os clubes de um grupo cruzando com os da outra chave neste primeiro turno, é possível tirar uma grande diferença em apenas uma rodada. Não há confrontos diretos. É possível ser a única equipe a pontuar na chave. Assim, até o União, quinto colocado do Grupo B, com apenas três pontos, mantém chances matemáticas de classificação. A complicada matemática do torneio ainda apresenta situações inusitadas, com clubes dependendo do triunfo de seus grandes rivais para seguir na disputa do título. São os casos de Coritiba e de Toledo, adversários nesta última rodada, que, além de vencer o jogo, torcerão para seus rivais históricos para chegar às semifinais. Terceiro colocado do Grupo B, o Toledo está a apenas um ponto do Londrina, o segundo colocado. Assim, precisa vencer o Coxa em casa e torcer para que o Tubarão tropece no Cascavel, seu grande rival regional, com quem faz o Clássico da Soja. O Coritiba é o terceiro do Grupo A, mas ainda pode alcançar o vice-líder, Cianorte e o líder Foz. Vencendo o jogo em Toledo, classifica-se caso o Cianorte não vença o Prudentópolis, fora de casa. Se não quer depender da pior equipe do campeonato até o momento (com apenas dois pontos somados), o Coxa terá que se apegar à boa fase do rival e torcer para que o Atlético vença o Foz na Arena da Baixada, em um jogo que não altera em nada a situação do Furacão. No treino desta segunda-feira, os jogadores do Coxa tiraram o foco da dependência dos outros resultados. Ressaltaram o poder de reação mostrado pelo time na vitória de sábado diante do Londrina e a importância de se conseguir uma sequência de bons resultados, independente da classificação. “Nós temos que fazer nosso papel e ganhar o jogo e os três pontos. E depois esperar o fim do jogo para ver o que aconteceu nos outros jogos”, resumiu Guilherme Parede.  

Confira as chances de cada time na última rodada da Taça Dionísio Filho

Grupo A Foz – Líder do Grupo A, classifica-se com um empate na partida diante do Atlético. Caso perca, vai às semifinais se Cianorte ou Coritiba não vencerem seus jogos. Cianorte – Classifica-se em caso de vitória diante do Prudentópolis. Se empatar, o Coritiba não pode vencer o Toledo e o Cascavel não pode vencer o Londrina. Se perder, o Coritiba não pode nem empatar. Coririba – Precisa vencer o Toledo e torcer para que o Cianorte não vença o Prudentópolis ou o Foz perca para o Atlético. Se empatar. Classifica-se caso o Cianorte perca e o Cascavel não vença o Londrina. Cascavel – Precisa vencer o Londrina e torcer para que o Cianorte não vença o Prudentópolis e o Coritiba não vença o Toledo. Grupo B Atlético – Já está classificado e em primeiro do grupo, independente de qualquer resultado na rodada. Londrina – Classifica-se caso vença o Cascavel. Se empatar, precisa que o Toledo não vença o Coritiba e que o Rio Branco não vença o Paraná. Se perder por mais de um gol de diferença, fica fora mesmo que o Toledo apenas empate. Toledo – Precisa vencer o Coritiba e torcer para o Londrina não vencer o Cascavel. Se empatar, precisa que o Londrina perca por mais de dois gols de diferença e que o Rio Branco não vença o Paraná. Rio Branco – Precisa vencer o Paraná e torce para que Londrina e Toledo não vençam. União – Mesmo com apenas três pontos, ainda tem chance matemática de classificação, caso vença o Maringá, o Londrina perca e Toledo e Rio Branco não vençam. Além disso, precisa tirar uma diferença de quatro gols de saldo.