Nos pênaltis, Cruzeiro bate o Coritiba e conquista o Brasileiro sub-20

Depois de 18 cobranças de pênaltis, o Cruzeiro acabou com o sonho do Coritiba de conquistar o Campeonato Brasileiro Sub-20 pela primeira vez. Após um empate por 1 a 1, a equipe mineira venceu a disputa de pênaltis por 7 a 6 com o goleiro Vitor defendendo três cobranças coxas-brancas, diante de 6 mil pessoas na tarde desta sexta-feira, no Couto Pereira. É o terceiro título do Cruzeiro que, antes de derrotar o Coxa na decisão, havia eliminado o Atlético na semifinal.

O Coritiba termina a competição com a melhor campanha entre todos os participantes, com sete vitórias, cinco empates e apenas duas derrotas.

O jogo

O Cruzeiro começou indo para cima do Alviverde. Aos 15 minutos, Anderson chutou de fora da área e a bola passou bem próxima ao gol defendido por Arthur.

Com a pressão mineira, o arqueiro do Coxa teve trabalho com Nickson, Jonathan e Marcelo. Do outro lado, Romércio, Carvalho, Mosquito e Índio assustaram Vitor. E foi justamente o menino Índio quem abriu o placar.

Aos 37 minutos, após boa jogada alviverde pela esquerda, Vitor deu o rebote. No bate rebate, Mosquito furou e Índio aproveitou para afundar as redes.

A segunda etapa iniciou equilibrada, com chances para ambos os lados. Após seguidas tentativas do alviverde, o Cruzeiro desceu pelo lado esquerdo, aproveitou a bobeira da zaga do Coritiba e deixou tudo igual com Jonathan, aos 19 minutos.

A Raposa quase virou o placar com Jonathan. No levantamento dentro da área, o jogador pulou mais alto que todo mundo e tocou de cabeça. A bola quicou no chão e subiu por cima do travessão.

Com o empate, repetindo o resultado do jogo de Belo Horizonte, a partida foi para as decisões por pênaltis. O Coxa já começou desperdiçando a primeira cobrança, com Vitor defendendo o pênalti de Mosquito, artilheiro do campeonato com 9 gols. Depois de quatro cobranças perfeitas do time mineiro, o camisa 10 e capitão da equipe, Toni Anderson foi para a marca da cal podendo garantir o tricampeonato da Raposa, mas acabou cobrando para fora. Assim a disputa prosseguiu. Na sua sétima cobrança, o Cruzeiro desperdiçou, com Vitor Luiz batendo para fora. Foi, então, a vez de o Coritiba ter a chance de bater para ser campeão, mas Vitor voltou a brilhar e defendeu a cobrança de Romércio. Já na 9ª cobrança, Vitor, de novo, defendeu o pênalti de Marcos Mozer e garantiu o título para os mineiros.

Confira o último pênalti da decisão.