Wilson classifica duelo do Coritiba com Flamengo como “jogo do ano”

Foto: Francielly Azevedo - Paraná Portal
Foto: Francielly Azevedo - Paraná Portal

O Coritiba não perde há seis jogos, mas ainda não eliminou a chance de rebaixamento. Por isso, encara o duelo com o Flamengo, na próxima quinta-feira (16), às 21h (horário de Brasília), como uma decisão. Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (14), o goleiro Wilson classificou o confronto como o “jogo do ano” para o alviverde.

“É um jogo fundamental, uma decisão, temos que encarar como o jogo do ano para nós. Na última partida não conseguimos a vitória em casa contra um adversário direto. Agora contra o Flamengo nós temos que buscar a vitória […] Para isso, o apoio do nosso torcedor é fundamental para aproveitarmos uma chance como essa”, disse.

Durante a conversa com os jornalistas, o arqueiro ressaltou mais de uma vez a importância da torcida. Para esse jogo, a diretoria alviverde manteve a promoção de ingressos. Além de baixar os preços, torcedor vestindo a camisa do coxa continua pagando meia entrada com ingressos a partir de R$ 35.

“A presença da torcida tem sido muito importante para a gente, nessa reta final, nessa sequência de jogos sem perder. Sempre falamos que o torcedor é muito importante, principalmente nesta reta final de competição. Então que nesses dois últimos jogos nós possamos dar uma sequência e que o torcedor compareça para que a gente termine o campeonato de uma forma tranquila”, destacou.

De acordo com o site Chance de Gol do UOL, o Coritiba ainda tem 13% de probabilidade de rebaixamento. Além da equipe pensar em escapar da degola, agora com o bom momento também estuda a possibilidade de conseguir uma vaga na Copa Sul-Americana. Perto de completar 140 jogos com a camisa alviverde, Wilson é mais cuidadoso ao falar da situação.

“Enquanto nós não alcançarmos o número de pontos que nos garanta ficar longe dos quatro últimos, não temos que ter esse pensamento. É como sempre falei, nós temos que procurar somar o maior número de pontos o quanto antes, pois é muito achatada essa zona de classificação e há a possibilidade de aumentar o número de classificados, então fatalmente se afastando da parte de baixo, temos grande chance de classificar para a Sul-Americana também”, analisou.