Valor encontrado em imóvel ligado a Geddel passa de R$ 51 milhões

Foto: PF
Foto: PF

A soma dos valores encontrados em um apartamento ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), nesta terça-feira (5), pela Polícia Federal (PF), é de R$ 51 milhões. Ontem, a PF esteve no imóvel em Salvador durante a Operação Tesouro Perdido, uma continuidade da Operação Cui Bono, que apura fraudes na concessão de créditos pela Caixa Econômica Federal.

Segundo as investigações, o dinheiro seria propina guardada pelo ex-ministro. Geddel teria pedido o imóvel emprestado a Sílvio Silveira para guardar bens do pai – o ex-deputado Afrísio Vieira Lima, que faleceu em janeiro de 2016. A movimentação das caixas chamou a atenção de vizinhos, que informaram a polícia.

O mandado de busca e apreensão no endereço foi autorizado pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília. “Há fundadas razões de que no supracitado imóvel existam elementos probatórios da prática dos crimes relacionados na manipulação de crédito e recursos realizada na Caixa”, escreveu o juiz no despacho.

Investigações

A propina paga a Geddel foi mencionada pelo doleiro Lúcio Funaro. Ele disse, em depoimento, que entregou pessoalmente malas de dinheiro de propina a Geddel. O pagamento seria feito na sala VIP do hangar Aerostar, no aeroporto de Salvador.

Nas investigações da Cui Bono, a PF e do Ministério Público Federal (MPF) apontam que Geddel e o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) atuaram na liberação de ao menos R$ 1,2 bilhão em empréstimos para empresas, em troca de propina.

Geddel foi preso em 3 de julho, acusado de tentar obstruir as investigações, mas foi solto nove dias depois e cumpre prisão domiciliar, sem o uso de tornozeleira eletrônica – o estado da Bahia, onde mora, não dispõe do equipamento.

Ele se tornou réu, mais tarde, por obstrução de Justiça, acusado de mandar mensagens à mulher de Funaro, Raquel Pitta, sondando a possibilidade de o doleiro fazer delação premiada. No celular dela foram apreendidas conversas de Geddel, identificado como ‘Carainho’.

Defesa

O ex-ministro nega as acusações. A defesa de Geddel afirmou, em nota, que a acusação é ‘fantasiosa’ e será esclarecida à Justiça. “A defesa rechaça com veemência as fantasiosas acusações contidas na denúncia, fruto de verdadeiro devaneio e excesso acusatório”.

Malas de dinheiro

Agora, os valores devem ser depositados em conta judicial. Veja os valores finais da contagem:

Em reais: R$ 42.643,500,00

Em dólares: US$ 2.688,000,00 – cerca de R$ 8.387.366,40

TOTAL: R$ 51.030.866,40