TRT determina reintegração de ex-funcionária da Itaipu perseguida pela ditadura

Sonia Castanheira

Quarenta anos após ser perseguida e demitida da Itaipú Binacional devido a ditadura militar, a secretária bilíngue Sônia Lúcia Castanheira, 71 anos, será reintegrada ao quadro de funcionários da estatal binacional.

Em uma decisão inédita do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná, em Curitiba, a justiça manteve a decisão de reintegração da ex-funcionária proferida no início do ano pela justiça do trabalho de Foz do Iguaçu, no oeste do estado, no início deste ano.

Sônia venceu o processo nas duas instâncias devido a Lei da Anistia, de 2012, que tornou público todos os documentos do tempo da ditadura militar. O acesso trouxe a comprovação de que Sônia não foi apenas perseguida, mas demitida de seu trabalho por conspiração dos militares.

Para o advogado Daniel Godoy Júnior, advogado de Sônia, a decisão repara um erro histórico e devolve a uma trabalhadora não só o direito a retornar ao trabalho, como também de registar sua dignidade e honra. “Decisão inédita no Brasil”, ressalta.

Prestes a completar 72 anos, Sônia Castanheira, que mora em Foz do Iguaçu, está pronta para voltar ao trabalho. “Esperei quarenta anos por esse dia”, concluiu. “Ela já está aposentada por idade, entramos com uma ação junto ao INSS devido ao tempo de serviço”, explicou o advogado.

Ainda cabe recurso à decisão. O cumprimento da decisão pode acontecer a partir de janeiro, quando acaba o recesso do judiciário e o acórdão da decisão deve ser divulgado.

Com a decisão ela volta ao trabalho ou, devido a idade, consegue se aposentar pela Itaipu?

Veja a decisão: 

WhatsApp Image 2017-12-15 at 07.45.24