Grupo desviou dinheiro de poupanças de 70 clientes da Caixa, diz PF

Foto: Rodolfo Buhrer / Paraná Portal

Pelo menos 70 clientes da Caixa Econômica Federal tiveram poupanças violadas em um esquema criminoso investigado na Operação Duas Caras, deflagrada pela Polícia Federal (PF) na manhã desta sexta-feira (15). De acordo com a PF, um funcionário de carreira do banco ajudava criminosos que desviaram R$ 1,3 milhão de clientes.

Entre os crimes investigados na operação estão furto qualificado, estelionato qualificado, peculato, uso de documento falso, falsificação de documento público e associação criminosa. Até o fim da manhã desta quinta-feira, a PF havia prendido 12 pessoas suspeitas de participação no esquema. Uma pessoa não foi localizada. Os presos foram levados à Superintendência da PF em Curitiba.

De acordo com o delegado Rodrigo Martins Moraes da Silva, Sérgio Rodrigues de Oliveira, preso nesta sexta em Curitiba, é suspeito de liderar o esquema. Ele ficava com maior parte dos recursos desviados. Francisco Casamasmo Júnior, funcionário da Caixa, ficava com 20% do valor. A reportagem tenta contato com as defesas dos suspeitos.

Segundo a PF, as vítimas foram ressarcidas pela Caixa Econômica Federal. Entre as vítimas estava um ex-jogador do Atlético Paranaense Anderson Lopes. O jogador teve passagem pelo Atlético-PR em 2016 e atualmente joga no Sanfrecce Hiroshima, do Japão.

Esquema

A PF afirma que o funcionário pesquisava e identificava contas poupança de clientes com grandes saldos e que não apresentavam histórico de retiradas. Casamasmo Júnior repassava os dados para Oliveira, líder do grupo criminoso.

Oliveira, segundo a PF, solicitava a emissão de documentos falsos e complementava os demais dados necessários com outros participantes do grupo, que geralmente possuíam acesso a banco de dados, em razão de suas profissões.

Na sequência, os investigados entravam em contato com a central de cartões da Caixa e, se passando pelos clientes, informavam a “falsa” perda do cartão para gerar outro.

Os cartões eram retirados nos centros de distribuição dos Correios também com o uso de documentos falsos. Depois, os criminosos faziam uma série de saques nos caixas eletrônicos, compras em débito automático e transferências na boca do caixa até que o dinheiro nas contas se esgotasse.

Em nota, a Caixa Econômica Federal afirmo “que está colaborando com as investigações da Polícia Federal e que manterá cooperação integral com os trabalhos”.

Cerca de 150 policiais federais cumprem 56 mandados judiciais nos estados do Paraná, Santa Catarina e Paraíba. São 23 de busca e apreensão, sies mandados de prisão preventiva, sete de prisão temporária, seis mandados de sequestro de bens e um mandado de suspensão do exercício da função pública por equiparação.

O nome da operação – Duas-Caras – é uma referência a atuação do funcionário da Caixa investigado, que, ao mesmo tempo que cumpria com suas atribuições na agência bancária, roubava dinheiro dos clientes.